Um esquema criminoso conhecido como “o golpe da casa própria”, realizado por uma imobiliária situada no bairro Tatuquara, em Curitiba, foi desarticulado na manhã de quinta-feira (26/10), pela Polícia Civil, através do 13º Distrito Policial (DP) da capital. Um dos donos da empresa, 40 anos, e uma funcionária, 31, foram presos através de mandados de prisões preventivas, expedida pela 8ª Vara Criminal da cidade.

O proprietário da imobiliária foi localizado em um de seus imóveis, no município de Araucária, Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Com ele, diversos documentos foram apreendidos e serão analisados pela polícia. Já a mulher foi detida na casa de parentes na cidade de Colombo, também RMC.

Mais notícias sobre o bairro Tatuquara!

Outras duas pessoas suspeitas de participar do esquema (outro sócio da imobiliária e mais um funcionário), também estão sendo investigados.

Até o momento 13 pessoas lesadas pela da imobiliária já compareceram na delegacia. Estima-se que os prejuízos das vítimas estejam em torno de R$ 44 mil. A empresa que atuava há cerca de um ano na região, fazia constantes anúncios de vendas imobiliárias.

De acordo com investigações, após escolherem o imóvel desejado, as vítimas realizavam um cadastro de financiamento, onde a empresa exigia uma quantia em dinheiro para dar andamento ao suposto negócio.

Tempo depois, a imobiliária informava as vítimas que o financiamento não tinha sido aprovado e que não poderia devolver o dinheiro, já que a empresa teve despesas de cadastro e serviço. “Algumas vítimas chegaram a receber a devolução de parte do dinheiro, mas a maioria não recebeu nada”, conta o delegado-titular do 13º DP, Gerson Machado.

As investigações iniciaram no mês de agosto depois que algumas vítimas registraram Boletins de Ocorrência (BOs) no distrito policial. Frequentes reclamações por parte das vítimas, fizeram com que a imobiliária mudasse de endereço para o bairro Sitio Cercado.

Após realizar um trabalho de investigação, a Polícia Civil solicitou à Justiça mandados prisão contra os envolvidos no golpe. Durante interrogatório o proprietário da empresa negou o crime. A funcionaria confessou à polícia que todo o dinheiro recebido dos golpes, caía direto na conta dos dois proprietários que repassava comissões para ela. A dupla foi indiciada pelo crime de estelionato e permanece presa à disposição da Justiça.

O delegado ressalta ainda que pessoas as que se sentirem lesadas pela empresa devem procurar a polícia. “Munidos de documentos comprobatórios, as vítimas podem ir até a delegacia formalizar a sua denúncia. Quem tiver mais informações que possa auxiliar nas investigações deve entrar em contato com a delegacia pelo telefone (41) 3396-1471”, concluí.

INVESTIGAÇÃO – A polícia também apurou que os donos da imobiliária são suspeitos de furtarem o banco de dados de uma outra empresa imobiliária concorrente. O furto teria causado o prejuízo a empresa no valor de R$ 1 milhão. O caso segue sob investigação na Vara Civil.

RECEPTAÇÃO – Em outra diligência distinta uma equipe do 13º Distrito Policial prendeu em flagrante dois microempresários suspeito de receptar quatro rodas com os pneus de um veículo Paraty furtado na semana passada, no Contorno Sul.

A prisão aconteceu em uma loja auto center no bairro Tatuquara. Os irmãos, de 20 e 27 anos, foram encaminhado à delegacia onde foram autuados pelo crime de receptação. Ambos pagaram o valor de R$ 2 mil pela fiança e foram liberados. As rodas foram apreendidas e devolvidas ao proprietário.

Durante as investigações os policiais chegaram até uma residência onde apreenderam um veículo Gol vermelho, furtado no bairro Portão. De acordo com a polícia as investigações prosseguem a fim de localizar o veículo Paraty.