O homem que atirou contra um lutador de MMA e uma criança de sete anos no último domingo (26) no Bairro Alto confessou o crime na manhã desta quinta-feira (2). Erivaldo Alves de Lima, 29 anos, também conhecido como “Neguinho”, se apresentou voluntariamente na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) acompanhado de uma advogada e contou detalhes do crime.

Erivaldo explicou que tinha sido chamado de caloteiro por Paulo Cezar e decidiu tirar satisfações. “Acabou sendo agredido pelo Paulo e outras pessoas, e voltou para se vingar atirando em direção ao agressor, mas atingindo outras duas pessoas”, disse o delegado Fábio Amaro.

O crime aconteceu depois que o primo de Erivaldo ouviu o comentário a respeito da falta de pagamento da parcela de um carro. Segundo a DHPP, o atirador havia comprado o veículo por aproximadamente R$ 4 mil, mas só teria efetuado o pagamento da primeira parcela, de R$ 1600.

Na delegacia, o homem afirmou ter jogado a arma do crime em um matagal próximo à Trincheira do Atuba. No entanto, a Polícia Civil ainda não a encontrou.

Prisões

Como não ocorreu flagrante e não há mandado de prisão aberto contra Erivaldo, ele foi somente interrogado e liberado para responder o crime, por enquanto, em liberdade.

Já seu primo Everton Fernandes de Salles, 24, foi preso pela Polícia Militar (PM) na última segunda-feira com um revólver calibre 32. De acordo com o delegado Fábio Amaro, ele é suspeito de ajudar o atirador na fuga, mas nega isso.

Vítimas

Logo após o crime, a criança foi encaminhada ao Hospital Angelina Caron, em Campina Grande do Sul, Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Já o lutador de MMA, Carlos Alberto Oliveira, foi socorrido ao Hospital Cajuru, em Curitiba. “Os dois continuam internados em estado grave. O menino levou um tiro na nuca e o lutador foi atingido por dois disparos”, informa o delegado.