Por ter sido chamado de caloteiro, Erivaldo Alves de Lima, 29 anos, mais conhecido como “Neguinho”, quase provocou uma tragédia no Bairro Alto, em Curitiba, e agora é procurado pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Na intenção de atirar contra um homem que teria falado que ele não pagou uma dívida, Erivaldo baleou um lutador de MMA e uma criança de sete anos.

O crime aconteceu na manhã de domingo (26), depois que o primo de Erivaldo teria ouvido que o homem era caloteiro porque não tinha feito o pagamento da segunda parcela de um carro que comprou. “O primo contou, ele se irritou e foi até a casa do homem que tinha falado isso dele. Depois de uma discussão, armado, ele falou que ia atirar contra o homem, mas acabou disparando e acertando as pessoas erradas”, explicou o delegado Fábio Amaro.

A criança foi encaminhada ao Hospital Angelina Caron, em Campina Grande do Sul, Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Já o lutador de MMA, Carlos Alberto Oliveira, foi socorrido ao Hospital Cajuru, em Curitiba. “Os dois continuam internados em estado grave. O menino levou um tiro na nuca e o lutador foi atingido por dois disparos”.

Dívida atrasada

Foto: Divulgação/Polícia Civil.
Erivaldo, o “Neguinho” é procurado pela DHPP. Foto: Divulgação/Polícia Civil.

A DHPP apurou que uma compra de um carro foi o motivo do crime. Erivaldo comprou o veículo, por aproximadamente R$ 4 mil, mas só teria efetuado o pagamento da primeira parcela, de R$ 1600.
O valor devido é de R$ 2.450, conforme nota promissória assinada pelo comprador. “Acontece que o vendedor teria o chamado de caloteiro e ele se irritou com isso”, disse o delegado Fábio Amaro.
Preso pela PM

Na última segunda-feira (27), Everton Fernandes de Salles, 24, foi preso pela Polícia Militar (PM) com um revólver calibre 32. O rapaz, conforme explicou o delegado Fábio Amaro, é o primo que teria contado a Erivaldo que tinham falado dele. “O que nós soubemos é que ele teria dado fuga para o atirador, mas ele nega isso”.

A DHPP ainda não sabe se a arma encontrada com Everton foi a usada no crime. “A perícia agora vai apontar se foi a mesma arma ou se ele estava armado por outro motivo”, explicou o delegado.
A polícia procura pelo homem chamado de caloteiro. “Erivaldo já tem passagens pela polícia por outros crimes (violência doméstica, porte ilegal de arma de fogo, uso de documentos falsos) e agora vai responder por dupla tentativa de homicídio”. Informações podem ser passadas através do disque-denúncia da DHPP, pelo telefone 0800-643-1121.

Arma utilizada no crime. Foto: Colaboração/Programa 190.
Arma apreendida pode ter sido usada no crime. Foto: Colaboração/Programa 190.