Henrique José dos Santos, 18 anos, foi preso na tarde desta sexta-feira (17) em Curitiba. De acordo com a Polícia Civil, o jovem estava com o celular do cabeleireiro de 61 anos, que foi encontrado morto no apartamento onde residia no Água Verde, em Curitiba, na noite da última quarta-feira (15).

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

O rapaz foi detido em uma casa na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), onde também foram encontradas cocaína, maconha e crack. O celular do cabeleireiro estava com o chip trocado. A Polícia Civil trabalha com três linhas de investigação: latrocínio, furto após a morte da vítima ou receptação.

Drogas encontradas com o jovem, na CIC. Foto: Colaboração
Drogas encontradas com o jovem, na CIC. Foto: Divulgação/Polícia Civil

De acordo com a delegada da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa da Polícia Civil (DHPP) Camila Cecconello, não é possível afirmar que Henrique tenha estado na cena do crime, mas ele estava com o celular e por este motivo, deve ser ouvido pela polícia.

+ Leia mais: Briga em posto de gasolina termina com frentista esfaqueado em Curitiba

“Ainda estamos com a investigação em aberto. Não podemos afirmar que a morte tenha sido um homicídio, já que a vítima não tinha sinais de violência, porém, essa hipótese não está descartada. Com a prisão desta tarde, vamos apurar como o aparelho celular foi parar na Cidade Industrial. Em um primeiro momento, ele alega [Henrique] que comprou o aparelho, só que na casa havia cocaína, maconha e crack. A versão precisa ser averiguada”, disse Cecconello.

+ Leia mais: Professor dá aulas de jiu-jitsu pra criançada do Parolin e garimpa talentos pro esporte

A delegada Camila Cecconello também afirmou que há outros elementos a serem averiguados até a conclusão do inquérito. “Foram coletadas digitais na cena do crime e a polícia trabalha para identificar quem esteve no local”.

O crime

O cabeleireiro foi encontrado morto no começo da noite, pelo porteiro do edifício onde morava. O corpo estava na cama com um corte no nariz e a lesão fez com que os lençóis e o seu rosto estivessem cheios de sangue. O apartamento estava revirado.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Preso homem que mantinha namorada de 17 anos em cativeiro há 15 dias