Aquiles Gabriel Batista Ribeiro, 19 anos, foi preso pela tentativa de homicídio contra dois homens, de 34 e 36 anos. O crime aconteceu no dia 5 de março, no bairro São Francisco. De acordo com investigações, o rapaz teria realizado uma saudação nazista antes de atingir as duas vítimas com uma faca.

Ele foi detido em sua casa, no bairro Pinheirinho e a ação foi realizada por policiais da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Ribeiro tinha um mandado de prisão preventiva expedida pela 2ª Vara Criminal da Capital.

Leia mais: Skinhead espancado em Curitiba já foi preso por agredir banda punk

No momento de sua prisão um celular foi apreendido. Nele, segundo a delegada Sabrina Alexandrino, há diversas conversas em que o autor confessa o crime. Além disso, ele ainda responde a um processo criminal pelo mesmo delito na cidade de São Bento do Sul, em Santa Catarina. Nessa ocasião as vítimas eram integrantes de uma banda punk rock.

“Durante o interrogatório ele negou que portava uma faca e negou que teria esfaqueado as vítimas. Ele ainda disse que não lembrava muito dos fatos. Ele só confessou que ele é neonazista e não há duvidas de que a motivação do crime é essa. Realizamos busca e apreensão na casa do rapaz, onde encontramos um celular dele. No aparelho há conversas em que ele se gaba do episódio. O crime foi gratuitamente, já que os rapazes esfaqueados não pertencem a nenhuma ideologia”, contou a delegada.

As vítimas estão bem e tiveram alta hospitalar. Ribeiro responderá por tentativa de homicídio qualificado por motivo fútil, impossibilidade de defesa da vítima e racismo. Ele pode pegar até 20 anos de prisão e permanece preso à disposição da justiça.

No momento de sua apresentação à imprensa, ele ainda acenou para as fotos.

Outros crimes

Em julho de 2016, Ribeiro foi preso suspeito de agredir três integrantes de uma banda punk rock na cidade de São Bento do Sul, Santa Catarina. A banda “Poluição Sonora”, de Joinville, foi abordada ao descer da van que utilizavam. Os músicos foram atacados por Ribeiro, que na época tinha 18 anos, e outros três homens armados com facas, machadinhas e martelo, segundo a polícia.

Os artistas foram golpeados na face, cabeça e pescoço. Um dos integrantes da banda teve um corte profundo no lado esquerdo da cabeça e quase perdeu a orelha por conta de um golpe de machadinha, que foi até o pescoço. Outros músicos tiveram cortes e levaram pontos na cabeça.

A polícia acredita em um encontro premeditado e marcado pelas redes sociais.