Considerado de alta periculosidade e suspeito de cometer vários crimes de maneira violenta, um rapaz de 22 anos foi preso por policiais civis na última semana, no bairro Juruqui, em Almirante Tamandaré, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). O suspeito tinha um mandado de prisão em aberto por tentativa de homicídio.

Leia mais: Almirante Tamandaré está entre as dez cidades mais violentas do Brasil

A prisão aconteceu quando uma equipe policial cruzou com o suspeito em uma rua do município. O jovem, que não teve seu nome divulgado pela polícia, tentou fugir em alta velocidade por um trecho de aproximadamente três quilômetros, mas acabou preso.

Segundo informações da polícia, as investigações se intensificaram no último mês, após o depoimento de uma das vítimas, que foi alvejada por diversos disparos de arma de fogo no dia 21 de abril deste ano. A motivação seria uma briga pelo tráfico e divisão de valores. Apesar dos graves ferimentos, o rapaz de 20 anos, sobreviveu e reconheceu o suspeito como autor do crime, por meio de fotografias.

Leia ainda: Policial mata vizinho após briga por som alto em Almirante Tamandaré

“No final de maio, a polícia identificou um triplo homicídio ocorrido no dia 17 de novembro de 2017, crime do qual ele também é suspeito. Segundo os processos, o investigado participou da chacina, relacionada com a disputa de um ponto de venda de drogas. Três pessoas morreram e uma mulher ficou gravemente ferida. Testemunhas reconheceram o homem como coautor, juntamente com outros três suspeitos”, esclarece o delegado-titular da Delegacia de Almirante Tamandaré, Tito Livio Barichello.

Violento

A polícia confirmou com testemunhas pelo menos cinco roubos à mão armada cometidos pelo preso. Além destes, outros três casos estão sendo investigados e indicam a participação do rapaz detido em Almirante Tamandaré. Nos boletins de ocorrência foi possível apurar roubos ocorridos recentemente e outros, em 2017. Em todos os casos as vítimas reconheceram o investigado como autor dos delitos.

Leia também: Onda de crimes em cemitérios faz GM reforçar segurança

Nos depoimentos aos policiais, as vítimas contaram que o rapaz agia com extrema violência. Em um dos casos ele teria efetuado disparos de arma de fogo no chão, sem qualquer reação da pessoa que era mantida como refém. Outros relatam que o jovem mandou as vítimas deitarem no chão juntamente com seus filhos, para efetuar o roubo.

O rapaz foi autuado pelo crime de tentativa de homicídio e, se condenado, poderá pegar até 20 anos de reclusão. Com sua prisão a polícia acredita que outras vítimas devam procurar a delegacia.

Cartazes com apoio e cortesias a PMs viram polêmica em bairro chique de Curitiba