Com mãos e pés amarrados, o corpo de um homem foi encontrado embalado em sacos plásticos na manhã deste domingo (30) numa valeta da Rua Mossoró, no bairro Guarituba, em Piraquara, Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Se não bastasse isso, a língua dele foi retirada do corpo e estava dentro do bolso de trás da calça que usava.

Leia mais! Sem medo, homem encara policiais em confronto e acaba morto

Segundo o tenente Guilherme Nery, do Batalhão de Polícia de Guarda (BPGd), o homem tinha aproximadamente 35 anos, cabelo comprido, barba e uma tatuagem do Chuck, o boneco assassino, num dos braços. “Ele foi encontrado amarrado com várias cordas, usaram até um pedaço de cortina, colocaram uma sacola na cabeça, o que mostra que tentaram esconder os vestígios de sangue”.

A polícia acredita que o crime aconteceu na madrugada ou ainda na noite de sábado (29). Ao embalar o corpo, a intenção dos assassinos era fazer com que o sangue não escorresse. “Agora cabe à Polícia Civil descobrir os autores e o que levou a motivação do crime, já que não temos o nome da vítima ainda para saber outros detalhes”, explicou o tenente.

Foto: Colaboração/Edson Vidal.
Foto: Colaboração/Edson Vidal.

Carros roubados

Segundo a polícia, na madrugada deste domingo houve uma sequência de roubos de carros que chamaram a atenção e podem até ter alguma ligação com o crime. “Quatro veículos foram roubados, três foram recuperados e um deles, que pertencia a um policial militar, ainda não foi encontrado”, comentou o tenente.

Leia também! Pesquisa CNT/MDA mostra Bolsonaro e Haddad tecnicamente empatados

O primeiro veículo a ser roubado foi um Jeep Renegade. “Depois, eles abandonaram o carro e roubaram um Onix, abandonaram de novo, roubaram um Siena e, por fim, o Ká, que era do PM, que ainda não encontramos”, detalhou o oficial da PM, destacando ainda que os veículos podem ter sido usados para transportar o corpo do homem morto, mas é apenas uma suspeita.

‘X-9’

O assassinato vai ser investigado pela equipe da Polícia Civil de Piraquara. O que se sabe é que, por terem cortado a língua da vítima, a morte pode estar relacionada com alguma coisa que ele possa ter dito ou denunciado. Informações que possam ajudar nas investigações podem ser passadas pelo telefone (41) 3590-1200.

Morre no hospital homem que matou a esposa por não aceitar fim de relacionamento