Horas depois de o corpo do jovem Ricardo Gonçalves Habitzreuter, de 26 anos, ter sido achado no lago da represa do Passaúna, em Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), nesta terça-feira (24), bandidos que estavam com o carro dele, um Renault Logan, causaram um acidente. A colisão, que envolveu outros dois veículos, aconteceu na Linha Verde, no Tatuquara, em Curitiba, e matou um dos motoristas na hora.

O corpo de Ricardo foi achado no final da manhã. O rapaz, que trabalhava como Uber há oito meses, estava com as mãos e os pés amarrados. Familiares, que reconheceram o corpo do jovem no Instituto Médico-Legal (IML) durante a tarde, contaram que Ricardo estava desaparecido desde segunda-feira (23), quando saiu para trabalhar. No entanto, em nota enviada à Tribuna, a Uber afirmou que o motorista não estava trabalhando pelo aplicativo no momento do crime.

Apesar de o corpo do motorista ter sido achado, a polícia ainda procurava pelo veículo. Investigadores já trabalhavam com a hipótese de que ele poderia ter sido vítima de um latrocínio (roubo com morte) entre outras possibilidades, que não foram divulgadas.

Com o impacto, o Ka ficou com a frente totalmente destruída. Vandré morreu logo após o acidente.
Com o impacto, o Ka ficou com a frente totalmente destruída. Vandré morreu logo após o acidente.
Um gol foi atingido no acidente causado pelos marginais.
Um gol foi atingido no acidente causado pelos marginais.

Bandidos no controle

Por volta das 21h, quatro bandidos que estavam com o carro do Uber provocaram o grave acidente na Linha Verde, a BR-476. Segundo a polícia, o motorista seguia no sentido ao Centro de Curitiba quando perdeu o controle, capotou, cruzou o canteiro central e atingiu um Ford Ka, que era conduzido por Vandré Evandro Ferreira, 38, que morreu na hora.

Vandré Evandro Ferreira, que conduzia um Ká, não resistiu ao acidente. Foto: Reprodução/Facebook.
Vandré Evandro Ferreira, que conduzia um Ká, não resistiu ao acidente. Foto: Reprodução/Facebook.

Além do Ka, os bandidos com o Logan roubado também atingiram um Gol que seguia no mesmo sentido da rodovia. O motorista, porém, não se machucou. “Logo depois do acidente, os quatro que estavam com o carro do Uber fugiram. Causaram a colisão e escaparam”, explicou o agente Ricardo Pasqualini, da PRF.

Com o impacto, o Ka ficou com a frente totalmente destruída. Vandré morreu pouco tempo depois da colisão, antes da chegada do socorro. O corpo do homem, que chegou a trabalhar na produção de uma emissora de TV de Curitiba, foi recolhido pelo Instituto Médico-Legal (IML) de Curitiba.

Investigações

Segundo a Polícia Civil, dois inquéritos foram abertos paralelamente para investigar o caso que segue sob responsabilidade da Delegacia de Araucária, município onde o corpo do motorista do Uber foi achado, e da Delegacia de Delitos de Trânsito de Curitiba (Dedetran), que vai apurar o acidente que vitimou o técnico de TV.

https://tribunapr.uol.com.br/noticias/seguranca/mais-um-suspeito-de-assassinar-motorista-do-uber-e-preso-em-curitiba/