A família de Emanuelly Soares Delfino Paixão Gomes, 17 anos, está desesperada. A menina, que mora na cidade de Ibitinga, interior de São Paulo, está desaparecida desde a ultima quarta-feira (10) e os parentes desconfiam que esteja em Curitiba.

A irmã de Emanuelly, Heloise Soares de Sousa, acredita que uma outra jovem, que tem 18 anos, estaria ameaçando-a e fazendo com que ela não se comunique com a mãe.

“O último contato que tivemos foi quando minha mãe a deixou no Senai, a escola em que ela estuda, em Ibitinga. Era por volta das 7h, como de costume, e depois disso ela sumiu”, disse Heloise.

Segundo a irmã de Emanuelly, a suspeita é de que a menina esteja com essa “amiga”. “A informação que nós tivemos é que ela estava com essa menina, que está doente, um tumor na cabeça ou algo do tipo, e teria coagido minha irmã a ir com ela até Curitiba”, detalhou.

Como de Ibitinga até Curitiba não tem uma linha de ônibus que faça o trajeto direto, as duas ainda passaram por outra cidade do Paraná antes de chegar a capital. “Inclusive, soubemos que elas estiveram mesmo em Londrina, mas até agora, nenhum contato”.

+Leia também: Armados, bandidos levam três malotes de dinheiro de posto; veja fotos dos suspeitos!

Desaparecida, Emanuelly Soares Delfino Paixão Gomes pode estar em Curitiba.
Família pede ajuda para encontrar a adolescente, que pode estar na capital paranaense. Foto: Arquivo pessoal

Ameaça

A família registrou boletim de ocorrência do desaparecimento de Emanuelly com a Polícia Civil de São Paulo e também numa delegacia de Londrina. “O que nós soubemos é que a Emanuelly conseguiu falar com outra amiga e disse que a jovem que está com ela não estaria deixando ela falar com ninguém, ou seja, está sendo ameaçada”.

Além dessa ameaça que Emanuelly estaria sofrendo, a família já recebeu até mesmo ligações de pedidos de dinheiro, como se o caso se tratasse de um sequestro, e também informação que levou os familiares ao pânico. “Disseram para a gente que ela não seria encontrada viva. Só tivemos mensagens ruins até agora e por isso o nosso desespero”.

+Leia também: Operadora “adianta” horário de verão e faz clientes acordarem uma hora mais cedo

Pedido de ajuda

Mesmo contando com o trabalho da polícia, Heloise resolveu procurar a Tribuna do Paraná para pedir que o caso fosse noticiado também aqui em Curitiba. Em São Paulo, vários veículos de imprensa já divulgaram o desaparecimento de Emanuelly, o que também faz com que mais gente veja e tente ajudar.

“Só queremos encontrá-la. Por isso pedimos que a população nos ajude, divulgando a matéria e a foto dela nas redes sociais e também em grupos de whatsapp, pois assim sabemos que mais gente vai ver e nossa chance vai aumentar”. O telefone para contato é o da própria Heloise, pelo (11) 94588-0454.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Um morto e cinco feridos! Até criança foi baleada em ação de marginais na CIC