Fábio Correias da Silva, de 27 anos, o terceiro baleado num lava car na Rua Maria Julia Correia da Silva, no São Braz, na tarde desta terça-feira (21), morreu no hospital, na madrugada desta quarta-feira (22). O crime é investigado pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que busca pelos autores que foram registrados por uma câmera de segurança.

No local do crime, morreram na hora Sebastião de Oliveira, 41, e Odival Massaneiro, 35. Segundo testemunhas, mais de 20 tiros foram disparados no lava car. Os dois autores do triplo assassinato estavam numa Land Rover.

O tiroteio aconteceu por volta das 16h e durou menos de um minuto. Pelas imagens da câmera de segurança é possível ver que às 16h12 a dupla desce do carro e anda tranquilamente. Às 16h13, eles voltam correndo. Somente quando já estavam dentro da casa, que funciona como lava car, os dois homens efetuaram os disparos.

Foto: Átila Alberti
Foto: Átila Alberti

Quando o socorro chegou, os três homens ainda estavam vivos. Odival, também conhecido como Fifo, e Sebastião, não resistiram. O mais novo do grupo, que segundo a DHPP era o dono do lava car, chegou a ser socorrido e encaminhado consciente ao Hospital Evangélico. Fábio morreu horas depois e teve o corpo foi recolhido pelo Instituto Médico-Legal (IML).

Ação

Conforme apurou a DHPP, Fábio estava trabalhando em um carro e Sebastião – que usava documentos falsos – em outro. Odival trabalhava numa revenda de carros e estava no local porque teria levado um veículo para que fosse limpo. Segundo a polícia, o homem desceu do carro, foi até o estacionamento e em seguida chegaram os atiradores.

A perícia do Instituto de Criminalística apurou que de todos os tiros disparados contra o trio, apenas dois deles não acertaram os homens. Um Logan que era lavado no lava car foi atingido por estes dois disparos, na porta do motorista e no banco traseiro.

Foto: Átila Alberti
Foram mais de 20 tiros que vitimaram duas pessoas no local. Um terceiro foi resgatado, mas não resistiu. Foto: Átila Alberti

Investigação

Algumas linhas de investigação já são seguidas pela DHPP, mas ainda não foram divulgadas. Entre as suspeitas dos policiais está a de que apenas uma das pessoas era o alvo dos atiradores, mas como os outros dois estavam no local, foram atingidos por queima de arquivo.

Os atiradores, conforme as investigações, estavam com uma pistola calibre 9 milímetros e outra ponto 40. Diversos estojos e projéteis foram apreendidos pela perícia. A polícia descobriu ainda que Sebastião, que usava nome falso, já morou no Paraguai. A DHPP quer descobrir agora o motivo de estar com documentos falsos, a suspeita é de que ele estava envolvido em algum crime.

Através das imagens do veículo usado pela dupla, a especializada espera chegar aos responsáveis nos próximos dias. Informações que possam ajudar nas investigações podem ser passadas através do disque-denúncia da DHPP, pelo telefone 0800-643-1121.

Acesse o Painel do Crime, a mais nova fonte de informações sobre crimes em Curitiba e região