Um motoqueiro identificado como Leandro Pires Cordeiro, 18 anos, morreu em confronto com a polícia na tarde deste Domingo de Páscoa (21), no Km 70 da BR-277, próximo ao viaduto do Contorno Leste, em São José dos Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba. O homem teria disparado tiros contra policiais militares, depois de ser flagrado com uma arma na cintura, enquanto seguia de moto na pista sentido Litoral-Curitiba, junto a um grupo de pelo menos oito motociclistas.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

 

A ocorrência foi por volta das 14h40. Após isso, por volta das 17h, moradores da região e conhecidos da família indignados com a morte de Leandro Cordeiro iniciaram um protesto na altura do km 70, queimando pneus, que bloqueou totalmente a pista no sentido Curitiba. Por volta das 17h20, segundo a Ecovia, concessionária que administra o trecho, o congestionamento chegava a 7 quilômetros. A Polícia Rodoviária Federal informou que havia cerca de 50 pessoas na manifestação.

O confronto

Conforme o tenente Rafael Gumbowsky, do 17.° Batalhão da Polícia Militar (PM), uma denúncia de que havia um motoqueiro armado pela região da BR-277 chegou a uma equipe de policiais via 190. A denúncia teria sido feita por uma escrivã da Polícia Civil que viajava pela rodovia no sentido Litoral-Curitiba. A policial teria avistado o grupo de pelo menos oito motos, sendo que um revolver teria despontado na cintura de um dos motoqueiros, por debaixo da camiseta. Esse motoqueiro seria o Leandro Cordeiro.

Ao averiguar a situação, a PM se deparou com o grupo na região do bairro Guatupê, em São José dos Pinhais, e eles iniciaram uma fuga ao ver a viatura. Os policiais pediram reforço e começaram uma perseguição aos motociclistas. Leandro Cordeiro teria efetuado disparos contra os PMs. “Houve o revide e ele acabou alvejado”, disse o tenente Gumbowsky. Ainda segundo o tenente, ao ser atingido, Leandro caiu da moto, que acabou atingindo o anteparo da alça de acesso ao viaduto do Contorno Leste (BR-376), local onde ele veio a óbito. Um revolver calibre 32 foi encontrado junto ao corpo. O jovem não tinha habilitação.

Até o fim da tarde do domingo, por volta das 17h, não havia informações oficiais sobre os ocupantes das outras motos, nem sobre o motivo de Leandro Pires estar portando uma arma de fogo.

Familiares

Foto: Colaboração
Foto: Colaboração

No local do confronto, amigos e familiares insistiam que o jovem não tinha arma e que ele era trabalhador. A mãe de Leandro Cordeiro não quis dar entrevista, mas gritava para os populares ao redor da ocorrência que a polícia tinha tirado a vida de seu filho sem motivo. Conhecidos de Leandro também informaram que o grupo de motoqueiros estava apenas empinando e fazendo manobras com as motos pela região. Uma viatura da Guarda Municipal, inclusive, teria feito uma abordagem anterior e os alertado sobre a irregularidade. O evento com a PM, após a denúncia de porte de arma, teria sido um segundo acontecimento que acabou mal por causa da decisão do grupo em fugir da polícia.

Durante o protesto, que segundo a PRF bloqueou a pista sentido Curitiba por cerca de meia hora, os familiares e amigos exigiram esclarecimentos sobre o caso.

Com tornozeleira, homem encara a polícia e morre em confronto. Ele tinha acabado de roubar um carro!