Assim que receber alta, a mulher de 33 anos que abandonou um bebê recém-nascido na madrugada de quarta-feira (6), vai ser presa e responder por tentativa de homicídio. A informação foi confirmada pelo delegado José Barreto, do Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente (Nucria), na manhã desta quinta-feira (7). O bebê continua internado.

+Leia mais! Trincheira que era para ser solução vira a maior dor de cabeça para motoristas

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

Segundo o delegado, a mulher assumiu o risco de que a criança morresse ao deixar o bebê na rua. “Por isso, entendemos que cabe o indiciamento pela tentativa de homicídio, neste contexto. E ainda com a qualificadora por motivo fútil, já que a mãe teria uma forma correta de entregar o filho aos órgãos competentes caso quisesse”.

Assim como a criança, que foi encontrada por uma equipe da Polícia Militar (PM), a mulher também foi achada, momentos depois, por outra equipe da PM. Segundo o delegado, no momento em que foi detida, ela ainda estava ensanguentada e tinha falado a algumas testemunhas que havia “tirado aquilo de dentro dela”, se referindo ao bebê.

+Viu essa? Vídeo mostra momento em que policial é esfaqueada no rosto. Ela levou 30 pontos!

Para que recebesse todos os atendimentos médicos necessários, a mulher foi encaminhada ao Hospital do Trabalhador (HT), de onde, assim que receber alta, vai ser levada ao Nucria. “Primeiro queremos ouvi-la e também precisamos confirmar outra informação, a de que além de ser usuária de drogas, ela teria transtornos psiquiátricos”, detalhou o delegado.

Após ser ouvida e com a confirmação da real situação da mulher, ela deve ser encaminhada ao local onde ficará presa. “Provavelmente no Complexo Médico Penal, que é o local com mais possibilidade de dar os cuidados necessários”.

Já a criança, que continua internado no mesmo hospital em que a mulher foi levada, está na UTI neonatal. “No caso do bebê, cabe ao Conselho Tutelar primeiro procurar familiares, para ver se há alguém que possa assumir a guarda. Caso não haja, vai para um abrigo e depois para adoção”, finalizou o delegado.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Motorista atropela seis ciclistas na BR-277, deixa rastro de destruição e some!