Oito presos fugiram da Casa de Custódia de Piraquara (CCP) na madrugada deste sábado (7). Segundo o Departamento Penitenciário do Paraná (Depen), os detentos que escaparam estavam em um dos shelters — celas modulares — instalados no local.

  • Presos envolvidos em rebelião devem responder por tortura e outros crimes

De acordo com o Depen, um procedimento interno foi aberto para apurar como os detentos conseguiram escapar. Além disso, a Delegacia de Polícia Civil de Piraquara também abriu um inquérito para investigar o caso.

A fuga dos oito presos acontece apenas dois dias após o término do motim em outra casa de custódia da capital. No último domingo (1º), os presos da Casa de Custódia de Curitiba, na CIC, se rebelaram e mantiveram agentes penitenciários reféns por cinco dias — considerada a maior do sistema carcerário paranaense nos últimos dez anos. O motim foi encerrado na última quinta-feira (5).

Quase rebelião

Ainda nesta semana, em entrevista à Tribuna do Paraná, um agente penitenciário que trabalha na CCP, revelou que presos da CCP tinham a intenção de fazer uma rebelião. Eles queriam, assim como o que aconteceu na Casa de Custódia de Curitiba, fazer agentes reféns para inciar uma rebelião.

Quatro agentes são mantidos reféns em Casa de Custódia de Curitiba