A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) procura por Celio Afonso da Silva, de 42 anos. Ele é o suspeito de matar dois homens e deixar uma mulher ferida, na noite de sábado (3), no Pilarzinho. Além de ter cometido o crime, segundo o que apuraram os policiais, o homem estaria ligado ao ataque aos carros-fortes em Palmeira, nos Campos Gerais, no Paraná, no começo de fevereiro.

Foto: Reprodução/Polícia Civil.
Foto: Reprodução/Polícia Civil.

Era por volta das 20h30 quando o crime aconteceu. Armado com um fuzil AK-47, o homem abordou um Fox vermelho em que estavam as vítimas e começou a atirar. Os dois homens morreram na hora e um deles usava tornozeleira eletrônica. A mulher foi socorrida pelo Siate e encaminhada ao Hospital Evangélico em estado grave.

A Tribuna do Paraná apurou que, logo depois, cruzando informações, os policiais da DHPP descobriram quem era o autor do crime e foram além: confirmaram que o duplo assassinato estaria ligado a um acerto que Celio resolveu fazer por suspeitar de um dos homens que estava no carro.

Denúncia

Conforme o que a DHPP descobriu, os policiais do Centro de Operações Policiais (Cope), da Polícia Civil, estavam atrás de Celio. Eles receberam uma denúncia de que o homem teria participado do ataque cinematográfico aos carros-fortes. No decorrer das investigações do Cope, os policiais chegaram a tentar abordar o suspeito para confirmar essa denúncia, mas ele não foi encontrado.

Foto: Colaboração
Crime ocorreu na noite de sábado no Pilarzinho. Foto: Colaboração.

Depois de ter a casa alvo de buscas de policiais, Celio teria se irritado e, acreditando saber quem tinha o dedurado, foi atrás. Segundo o que apurou a reportagem, o homem se armou com o fuzil – que pode ser até o mesmo que foi usado para render os vigilantes dos carros-fortes –, seguiu o carro das vítimas e sequer confirmou suas suspeitas: foi e matou o homem e disparou também em quem mais estava com ele.

Logo depois do assassinato, os policiais da DHPP conseguiram provas de que Celio foi o autor do crime. Segundo a polícia, ele é procurado por um homicídio e também está foragido pelo ataque aos carros-fortes, por um mandado de prisão de roubo. Informações sobre o paradeiro de Celio vão ser importantíssimas para a DHPP e podem ser passadas através do 0800-643-1121.

https://tribunapr.uol.com.br/noticias/seguranca/trecho-da-br-376-e-bloqueado-em-acao-de-marginais-contra-carro-forte/