Pai e filho foram presos, na noite deste domingo (11), por estarem com o carro do professor de biologia Flávio Laureth Ávilla, de 53 anos, que estava desaparecido desde o último dia 6 e foi encontrado morto no sábado (10). O veículo, um Captur, foi encontrado em Campo do Tenente, cidade que fica a 67 quilômetros da capital e faz parte da Região Metropolitana de Curitiba (RMC).

A Tribuna do Paraná apurou que a Divisão Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) conseguiu descobrir que o carro estava sem placas em uma casa da cidade. Com a ajuda de policiais militares, a informação foi confirmada e os dois foram presos.

O carro, que já estava sem placas, deve ser trazido para Curitiba e deve passar por perícia. A reportagem apurou que, embora estivesse com o Captur, a dupla não teria envolvimento com a morte do professor em si e sim apenas recebido o carro de alguém. Os dois vão responder por receptação.

O corpo de Flávio foi encontrado em um matagal próximo ao Parque Nacional de Guaricana, na divisa de São José dos Pinhais, na RMC, com Morretes, litoral do Paraná. Quem apontou o local exato foi um suspeito do crime, que foi preso pela DHPP.

No local onde o corpo foi achado, a perícia feita pelos papiloscopistas encontrou digitais nas fitas adesivas usadas para enrolar o cadáver. Isso pode ajudar nas investigações. O material coletado ainda está sendo analisado.

Falta uma peça

O primeiro suspeito do crime foi preso no bairro Boqueirão, depois de uma denúncia que surgiu no decorrer das investigações sobre o desaparecimento do professor. Os policiais souberam que o carro de Flavio permaneceu na garagem da casa deste rapaz por algum tempo. Ao ser levado à DHPP, ele teria confessado o crime, mas disse que um adolescente foi quem de fato assassinou o professor.

A equipe de investigação já sabe o que motivou o assassinato, mas isso ainda não foi divulgado pela DHPP. Os detalhes sobre as investigações vão ser passados somente quando o adolescente for encontrado. De qualquer forma, a polícia acredita que falta pouco para que o adolescente envolvido no assassinato do professor seja apreendido, por isso ainda falta uma peça.

Desaparecimento

Flávio Laureth Ávilla era professor de Biologia e Ciências e lecionava há mais de 20 anos nos colégios estaduais Santa Rosa e Conselheiro Carrão. Ele foi visto pela última vez no bairro Jardim das Américas, em Curitiba, de onde saiu em direção à Secretaria Estadual de Educação (Seed), no bairro Água Verde, mas não chegou ao destino.