Um Gol prata, que pode ser o carro usado pelos assassinos do policial militar Antônio Carlos Pires, morto na noite de sábado no bairro CIC, em Curitiba, foi encontrado abandonado na manhã deste domingo (27) no bairro Tatuquara, em Curitiba. O veículo passou por perícia, para que papiloscopistas da Polícia Civil procurassem digitais recentes no veículo e outros detalhes que comprovem se foi ou não o carro usado no assassinato.

O Gol encontrado foi roubado na última quinta-feira (24) no bairro Pinheirinho, em Curitiba. Depois de periciado, o carro foi levado à Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), onde permanece guardado.

Carro periciado por policiais. Foto: Hedeson Alves/Tribuna do Paraná.
Carro periciado por policiais. Foto: Hedeson Alves/Tribuna do Paraná.

Conforme a tenente Falkenbach, do 23.º Batalhão, o qual o sargento Pires pertencia, equipes de policiais militares foram colocadas nas ruas ainda na noite de sábado para auxiliar a Polícia Civil com investigações. No entanto, ela diz que ainda não há uma motivação do crime delineada.

Reprodução / WhatsApp
Reprodução / WhatsApp

O crime

O sargento estava de folga, quando parou seu carro na Rua Anjolilo Buzetti, na Vila Verde, CIC, por volta das 22h. Logo foi abordado pelo assassino, que chegou num Gol prata e deu pelo menos três tiros contra o policial. Dois acertaram a vítima, que chegou a receber atendimento do Samu, mas não resistiu e morreu no local. Pires estava armado, com a pistola da PM, mas não teve tempo de reagir. A hipótese de assalto, por enquanto, é descartada, visto que nada foi levado do policial. A testemunha que viu o gol prata não conseguiu enxergar a placa ou outros detalhes do carro.

O sargento, que trabalhava no 23 Batalhão, era bem quisto na unidade pelo bom trabalho desenvolvido. Foto: Reprodução/Google.
O sargento, que trabalhava no 23 Batalhão, era bem quisto na unidade pelo bom trabalho desenvolvido. Foto: Reprodução/Google.

Querido na corporação!

O sargento Pires tem 26 anos de corporação e trabalhava há sete anos no setor administrativo do 23.º Batalhão, especificamente como auxiliar do setor de Transporte. De acordo com o Comandante do 23°, tenente-coronel Marcos Sperka, o sargento era querido na unidade pelo bom trabalho desenvolvido. “Era um profissional com vasta experiência, com relevância de serviços prestados à sociedade paranaense e, claro, esse crime não vai ficar impune. Tenho certeza que logo, não só a Polícia Militar como a Polícia Civil, juntas, poderão elucida-lo”, destacou.

O velório do sargento Pires será na Capela da Associação da Vila Militar (Av. Mal. Floriano Peixoto, 2057 – Rebouças). O sepultamento ocorrerá o Cemitério Pedro Fuss, em São José dos Pinhais, às 15h desta segunda-feira (28).

Cantora que estava desaparecida é encontrada perambulando em Curitiba