Um anúncio num site de compra e venda levou o vendedor, que na verdade era um receptador, à prisão em Curitiba. Segundo a polícia, a própria vítima, foi quem ajudou nas investigações, ao achar sua bicicleta furtada sendo anunciada à venda. Nesta segunda-feira (19), os investigadores foram até o local do anúncio e se surpreenderam com a quantidade de produtos que encontraram. Rodrigo Hauyber Otramario da Silva, de 19 anos, foi preso em flagrante.

A ação aconteceu depois que a vítima, uma mulher, procurou os policiais da Delegacia de Furtos e Roubos (DFR) para denunciar que tinha achado sua bicicleta sendo anunciada à venda pela internet. “Nossos policiais foram até o endereço do anúncio para averiguar a situação e, chegando lá, encontraram a bicicleta furtada e muitas outras, além de outros objetos eletrônicos e até instrumentos musicais como um violino e uma guitarra”, disse o delegado Emmanoel David.

+Homem ou animal? Afinal, existe um lado certo no ataque do bugio contra criança?

A casa do rapaz ficava na Rua Rubens Thome Speltz, no bairro Cajuru, em Curitiba, e tudo o que foi encontrado foi apreendido pelos policiais. “Informalmente, para nós, ele disse que eram produtos roubados ou furtados que ele guardava, ou seja, era receptador. Mas em seu depoimento, ele ficou quieto. De qualquer forma, por não ter a origem de nada do que encontramos, tudo foi recolhido”, destacou o delegado.

Além de pelo menos sete bicicletas, os policiais encontraram roupas, ferramentas domésticas, um notebook, um videogame e até um aparelho de ar condicionado. Além disso também foram apreendidos os instrumentos musicais e um simulacro de pistola. “Nós pedimos que ele tocasse o violino para ver se era dele e ele não sabia tocar, nem soube explicar ao certo porque guardava o instrumento. Considerando que ele não apresentou nota fiscal de nenhum dos produtos e foi flagrado com a bicicleta furtada, vai responder por crime de receptação qualificada” explicou Emmanoel David, considerando que, para este caso, não coube fiança pela delegacia.

+Leia também: Purkote ‘só assistiu’ às agressões e morte do jogador Daniel, diz advogado

Até um violino foi apreendido com Rodrigo. Foto: Gerson Klaina.
Até um violino foi apreendido com Rodrigo. Foto: Gerson Klaina.

 

Investigações continuam

O delegado disse ainda que a delegacia vai continuar investigando a situação para descobrir se Rodrigo, além de guardar os objetos roubados e furtados, também não cometia roubos. “O que nós confirmamos, até o momento, é que ele só receptava. Até porque ainda não foi reconhecido por nenhuma vítima, mas é justamente isso que pedimos, que as pessoas procurem a gente e nos ajudem nisso, pois podemos acabar descobrindo algum desdobramento dessa situação”, disse o delegado.

Rodrigo, segundo a polícia, tem um vasto histórico criminal. Segundo o divulgado pela equipe da DFR, somente em boletins de ocorrência registrados neste ano, o nome dele consta como suspeito em diversos delitos que vão de porte de drogas para consumo próprio e dirigir sem habilitação, a crimes mais graves como roubo agravado, receptação, associação criminosa e estelionato. O contato da Delegacia de Furtos e Roubos é o (41) 3218-6100. Veja a entrevista completa:

Alerta importante

O delegado reforçou o alerta sobre a importância de quem tem bicicleta usar uma nova plataforma do governo do Paraná, que faz com que as bicicletas sejam todas cadastradas num sistema digital. “É o site Minha Bike, o qual as pessoas podem colocar todos os dados da bicicleta, seja a cor, o modelo e até mesmo o número de série. Esse cadastro nos ajuda quando recuperamos essas bicicletas, porque aí é mais fácil o contato com os proprietários”. Para cadastrar sua bicicleta clique aqui.

Segundo Emmanoel David, neste caso da apreensão, em que as bicicletas não estavam registradas ainda, as pessoas também conseguem recuperar, mas precisam comprovar que são donas. “Mas não é nada muito difícil, pois o nosso objetivo é que seus bens sejam entregues, então, até uma foto que você tenha com a bicicleta já pode ser bem útil. Além disso, como a pessoa virá até a delegacia, também pode nos ajudar num possível reconhecendo do preso por outros crimes”.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Advogado compara Edison Brittes Jr. com figura bíblica