Depois de cerca de cinco horas em negociação com um policial civil que estava em surto desde a manhã desta terça-feira (27), uma equipe do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) invadiu o apartamento onde ele estava, em um prédio residencial no bairro Água Verde, em Curitiba, para encerrar a ocorrência. “Nossos atiradores de elite, que estavam em locais com visibilidade para o apartamento, observaram um momento em que ele estava dormindo e aproveitamos esse momento para fazer uma invasão segura”, explicou o tenente coronel Hudson.

Ainda de acordo com o tenente, quando a equipe do Bope entrou no apartamento, o policial civil em questão, identificado como Weiker de Mendonça Nóbrega, informou que não estava com nenhuma arma de fogo em sua posse, o que foi comprovado em uma revista feita pelo imóvel. Após ser contido pelos demais policiais, Weiker foi medicado e em breve deve ser encaminhado para a Corregedoria da Polícia Civil. “Ele não tem ferimentos e agora fica a cargo da Polícia Civil o que será feito daqui pra frente”, esclareceu Hudson.

Desdobramentos do caso

Segundo o delegado Marcelo Lemos de Oliveira, da Corregedoria da Polícia Civil, Weiker responde uma investigação preliminar, um processo disciplinar e uma comissão de sindicância de estágio probatório. O delegado esclareceu também que toda negociação foi feita pelo Bope.

“Nesse tipo de ocorrência, existe um protocolo de atendimento e então a negociação foi encabeçada pelo Bope e acompanhamos pelo fato de ser um policial civil. Ele será encaminhado para um procedimento mais especializado”, explicou.

Sobre o evento desta terça-feira, a corporação disse que será analisada a eventual prática de crime, que será formalizado pela Corregedoria. A arma oficial já havia sido recolhida. A Corregedoria da Polícia Civil está formalizando o ato de suspensão de suas atividades policiais por 90 dias até a apuração do caso.

Várias ruas do bairro estão com trânsito intenso por conta do trabalho das equipes do Bope e esquadrão antibombas. Foram cinco horas tentando convencer o homem a abrir o apartamento em que estava trancado depois de ter tocado o terror no prédio com um extintor de incêndio, batendo nas portas de outros apartamentos.

Filho de delegado é preso por estelionato na Grande Curitiba