Uma adolescente de 17 anos passou por momentos difíceis nos últimos dias ao permanecer em cárcere privado pelo namorado em uma casa na Cidade Industrial de Curitiba (CIC). A Polícia Civil do Paraná (PCPR) prendeu o homem, de 30 anos, após os familiares da vítima entrarem em contato com a polícia e relatarem que a moça tinha sofrido agressões e ameaças graves, inclusive de morte, por parte do namorado.

“No início do mês de maio, a mãe da adolescente nos procurou para afirmar que a filha foi mantida em cárcere privado pelo namorado por 15 dias, mas ela conseguiu escapar. Foi instaurado o inquérito policial e estávamos investigando. Ontem (quinta-feira), o grupo Tigre da Polícia Civil foi comunicado pela genitora que o crime estaria novamente ocorrendo por mais ou menos uma semana desta vez. No local, foi constatado que o portão de entrada e janelas estavam cadeadas e com correntes”, disse José Barreto de Macedo Junior Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente (Nucria).

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

Pitbull na porta

O grupo Tigre teve até algumas dificuldades para encontrar o “cativeiro”. A Polícia tinha a informação da região, mas a mãe não tinha a exata posição da casa. Ao analisaram o local, foi percebido que um imóvel estava com correntes e cachorros da raça Pitbull até para amedrontar a própria vítima. “Rompemos o cadeado e ela estava no sofá, sem correntes. Já ele estava no banho e demos voz de prisão e encaminhado ao Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente”, ressaltou Cristiano quintas, delegado adjunto do Grupo Tigre. Na residência não foram encontradas drogas ou armas.

Na delegacia, a adolescente relatou que estava morando na casa do namorado contra a sua vontade. Ela ressaltou que permanecia devido às ameaças do namorado que a toda hora falava que mataria ela e a mãe. “Era alvo de xingamentos e agressões físicas e até uma vassoura foi quebrada. Ela até relata que foi obrigada a comercializar drogas e relações sexuais sem o consentimento também ocorreram”, afirmou o delegado do Nucria.

O homem foi preso irá responder por cárcere privado e injúria. Ainda será investigado em Inquérito Policial por estupro qualificado.

Briga em posto de gasolina termina com frentista esfaqueado em Curitiba