Foi preso na tarde da última terça-feira (20) um homem suspeito de atirar e matar Diego Agnaldo Chaves, de 18 anos. O suspeito, identificado como Alex Sandro Vieira, de 35 anos, foi localizado na residência de parentes no bairro Parolin, em Curitiba, através do cumprimento de um mandado de prisão temporária.

Segundo as investigações, uma segunda pessoa foi identificada como suspeita de participar do crime. Willian Renato Calado Silva, de 22 anos, está foragido. Conforme investigações, o crime aconteceu na madrugada do dia 25 de fevereiro deste ano, por volta das 3 horas da manhã, quando a vítima teria ido até as proximidades de uma tabacaria –  estabelecimento  de propriedade de Silva.

Willian Renato Calado Silva, de 22 anos, está foragido. Foto: Divulgação/Polícia Civil.
Willian Renato Calado Silva, de 22 anos, está foragido. Foto: Divulgação/Polícia Civil.

A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP)  apontou que ao chegar no local a vítima teria iniciado uma discussão com Silva em frente a tabacaria, momento em que Vieira (amigo de Silva) efetuou diversos disparos contra a vítima. Santos chegou a ser encaminhado com vida até o Hospital do Trabalhador, mas não resistiu aos ferimentos e morreu assim que chegou no local.

“Silva possuía um desafeto com Santos, já que ele havia se envolvido com uma ex-namorada sua. No dia do crime, a vítima teria ido conversar com Silva para resolver a situação, então houve outro desentendimento entre ambos, fazendo com que o amigo de Silva (Viera) tomasse partido, efetuasse os disparos”, contou o delegado-titular da DHPP, Fabio Amaro.

De acordo com o delegado, na época dos fatos, os dois suspeitos se apresentaram na delegacia negando o crime. “Após um trabalho minucioso de investigação realizado pela 3ª Delegacia de Homicídios, nós conseguimos provas substanciais para solicitar à Justiça mandados de prisão e busca e apreensão domiciliar na casa e no estabelecimento de um dos suspeitos”.

Na residência de Vieira nada foi localizado. Já na tabacaria de Silva, 500 gramas de maconha foram apreendidos, além munições dos calibre 38 e 7.65.

Homicídio qualificado

Os suspeitos responderão pelos crimes de homicídio qualificado. Caso sejam condenados podem pegar uma pena de 12 a 30 anos de prisão. Quem tiver mais informações que leve ao paradeiro de Silva, pode entrar em contato com a DHPP pelo telefone 0800 643 1121, o sigilo é garantido.