Um homem de 21 anos foi preso no último sábado (2) suspeito de assassinar o vizinho, Gerson Hartmann, de 39 anos, no dia 31 de janeiro deste ano, em Almirante Tamandaré, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). O crime aconteceu por volta das 22h, na Rua Bracatinga, no bairro Chico Mendes.

Conforme a polícia, Cristiano Gustavo da Silva, invadiu a casa da família dizendo que “cagueta tem que morrer” e começou a disparar contra Gerson e sua enteada, de apenas 16 anos. A menina levou quatro tiros na boca, mas sobreviveu.

Jovem foi reconhecido pela vítima. Foto: Atila Alberti
Jovem foi reconhecido pela vítima. Foto: Atila Alberti

A motivação do crime teria sido porque as vítimas teriam visto o suspeito praticando furtos de veículos e contado para terceiros.

“Um crime gravíssimo e a equipe de investigação chegou até o Cristiano. Iniciamos com dificuldade, já que uma das vítimas morreu e a outra foi baleada na boca, porque tinha contado para a polícia sobre os criminosos. Foi difícil fazer ela voltar a falar, nós a protegemos em outro local e conseguimos chegar até o Cristiano, que ela reconheceu imediatamente”, explicou o delegado-titular Tito Barichello.

Comparsas procurados

Outros dois homens, ainda desconhecidos, também participaram do crime. Para o delegado não há dúvidas que o crime ocorreu por represália às denúncias e pelos disparos terem sido na boca das vítimas, típicos nesses casos.

Durante a apresentação do preso à imprensa, o rapaz negou a participação e disse que estudou com a jovem baleada. Ele responderá pelos crimes de homicídio qualificado e tentativa de homicídio.

Seis suspeitos da morte de estudante no Largo da Ordem são ouvidos pela polícia