Dez pessoas foram presas suspeitas de participação em uma quadrilha especializada em assaltos a ônibus de turismo. As prisões foram feitas numa ação conjunta da Polícia Rodoviária Federal (PRF) com a Polícia Militar (PM), em quatro cidades da Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Entre os presos está o filho de um vereador do município de Mandirituba.

Segundo a PRF, foram expedidos oito mandados de prisão pela Vara Criminal de Campina Grande do Sul e seis foram cumpridos. As outras quatro prisões foram flagrantes por tráfico de drogas ou posse ilegal de armas.

Treze mandados de busca e apreensão foram cumpridos. Os policiais recolheram três armas de fogo, munições, porções de maconha já prontas para a venda, uma balança de precisão e um pé de maconha.

Os mandados foram expedidos depois que os policiais descobriram detalhes sobre as ações dos bandidos que eram monitorados há seis meses. Em uma das ações, integrantes da quadrilha trocaram tiros com os agentes da PRF.

Um rapaz de 23 anos, filho de um vereador da cidade de Mandirituba, foi preso e estava com uma arma longa, que foi encontrada escondida no guarda roupa da casa da avó. Segundo a PRF, o rapaz era um dos integrantes da quadrilha e agia junto com o bando nos assaltos. Os presos, com tudo o que foi apreendido, foram encaminhados às delegacias de São José dos Pinhais e Mandirituba.

Violentos

Nos últimos quatro meses, a quadrilha foi responsável por ao menos quatro assaltos a ônibus no Paraná. Esses assaltos foram nas BRs 116, 376 e 277, em trechos dentro das cidades de Campina Grande do Sul, Quatro Barras, São José dos Pinhais e Palmeira, nos Campos Gerais. A maioria das vítimas era de passageiros que fariam compras no Paraguai ou em São Paulo (SP).

Durante os assaltos, a quadrilha costumava agir com violência e não poupava munição. Segundo a PRF, o bando atirava contra os veículos em movimento para que os motoristas parassem e ainda agredia os passageiros. Em uma das ações, os bandidos ameaçaram até a cortar o dedo de uma mulher.