Nessa segunda-feira (28), o delegado Osmar Feijó, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), comentou sobre as investigações do tiroteio em uma festa de família, no bairro Capão Raso na noite de sexta-feira (25). Duas pessoas morreram e oito ficaram feridas.

O crime, que aconteceu pouco antes das 23h de sexta, tem envolvimento de quatro pessoas, segundo Feijó. Os atiradores passaram em frente à residência já efetuando disparos e, a princípio, Eric Pereira de Lima, que estava na festa, seria o alvo dos atiradores por conta de uma rixa de tráfico de drogas. O rapaz conhecido pelo apelido de “Chineque“, tem passagem por porte de arma, roubo e também falsidade ideológica, onde usava o nome de “Marcelo Lustosa Santos”.

Foto: Átila Alberti.
Foto: Átila Alberti.

Além dele, Rudinei Lima de Castro, uma das pessoas baleadas, também tem passagem pela polícia por sequestro e roubo. Ainda assim, todas as vítimas devem ser investigadas para encontrar os autores do crime.

“A princípio não temos informações se esse outro rapaz que tem passagem seria alvo. As outras vítimas não tem passagem, porém estamos verificando a ligação de Eric com essas pessoas. Segundo informações, os desafetos tomaram conhecimento que ele estaria na casa e praticaram essa ação violenta”, explicou o delegado.

Outra informação, segundo a polícia, é que um veículo Hyundai Santa Fé preto foi visto deixando a cena do crime. Horas depois, um carro com características semelhantes foi encontrado abandonado e com alerta de roubo. O veículo foi encaminhado à perícia para levantar digitais e possível relação com o crime.

Mais de dez ambulâncias foram mobilizadas para o resgate das vítimas na sexta-feira. Ainda não há informações sobre o estado de saúde das oito vítimas sobreviventes.