Dois servidores do Departamento de Gestão do Transporte Oficial da Secretaria de Estado da Administração e da Previdência (Deto/Seap) foram denunciados criminalmente pelo Ministério Público do Paraná, suspeitos de associação criminosa, peculato e fraude à licitação. Eles são investigados pelo sumiço de peças de veículos do Estado do Paraná. Além deles, outras duas pessoas que não são ligados ao governo também sofreram as mesmas denúncias.

+Caçadores! Crianças e adolescentes sozinhas nos APP de carona? Delegada recomenda atenção!

Segundo a denúncia, os servidores desviavam, em proveito próprio, peças de veículos que estavam no pátio do Deto/Seap. Este depósito abriga veículos oficiais do Estado que não possuem mais uso, para serem avaliados e vendidos em leilões como sucatas.

Após retiradas, as peças eram utilizadas, posteriormente, em veículos que eles próprios, por meio de “laranjas” (mulher e filho de um deles), adquiriam em leilões públicos.

+Viu essa? Depósito com pneus italianos, alemães e até marroquinos é descoberto pela PRF

Os fatos ocorreram entre os anos de 2001 a 2014 havendo, entretanto, indícios de que a prática também ocorreu em leilões realizados entre os anos de 2015 a 2018, estando esses fatos sob investigação.

+Viu essa? Lei do silêncio impera e polícia fica sem detalhes de crime na RMC

Quem eram os servidores?

Os envolvidos na denúncia trabalhavam no pátio do Deto/Seap como mecânicos, sendo um deles também avaliador dos veículos que eram destinados aos leilões públicos de sucatas e inservíveis. Na denúncia, o MPPR pediu a condenação dos servidores públicos à perda da função pública. A ação está na 7ª Vara Criminal de Curitiba.

Guarda municipal na UTI e suspeito de roubo morto após confronto na RMC