Um motorista de aplicativo foi preso em flagrante por uma equipe da Polícia Militar (PM) suspeito de trancar uma mulher dentro do carro e a estuprar na madrugada desta quinta-feira (2) no bairro Guaíra, em Curitiba. A vítima, de 24 anos, disse que foi obrigada a manter relação sexual com o homem e que se sentiu ameaçada.

A ação aconteceu depois de um encontro da jovem com colegas de trabalho. “Ela contou que saiu com os amigos e que, na volta, solicitaram o carro pelo aplicativo de um dos amigos. Dois deles ficaram no Centro de Curitiba e ela seguiu viagem até o bairro onde mora, mas a corrida já estava paga”, contou a delegada Emanuele Siqueira, da Delegacia da Mulher.

Segundo o relato da vítima, quando chegou ao endereço onde mora, a moça viu que a porta do carro estava trancada. “Ela sentiu que algo estranho estava acontecendo e, ao olhar para o motorista, viu que ele estava com o órgão sexual para fora da calça. Ele a fez fazer sexo oral nele e depois a estuprou”.

Depois do ato sexual, o motorista deixou que a moça saísse do carro e ela imediatamente avisou seus colegas de trabalho, que conseguiram chamar a PM. “Com as informações do veículo, os policiais foram atrás e conseguiram encontrar o motorista próximo ao local onde ele deixou a vítima, então foi preso em flagrante”.

O homem foi levado à Delegacia da Mulher, onde foi ouvido e, aos policiais, não negou que tenha havido relação sexual entre ele e a moça. “Ele confirma que houve a relação, mas diz que foi consentida. Em contrapartida, ela disse que em momento algum consentiu e, neste caso, no crime de estupro, a palavra da vítima tem peso”, explicou a delegada.

A moça, de 24 anos, foi encaminhada ao Hospital de Clínicas, referência quando o assunto é estupro, onde passou pelos exames necessários e deve tomar um coquetel para evitar que seja contaminada com possíveis doenças transmissíveis. Segundo a polícia, apesar do pavor que o crime em si provoca na pessoa, a moça estava bem e não foi agredida pelo motorista.

“Ele não chegou a agredir ou a ameaçar, segundo o que ela nos disse. Mas ela entendeu a atitude dele de trancar o carro como uma ameaça, ficou com medo e por isso não reagiu”, detalhou a delegada.

O motorista ficou preso e deve passar por uma audiência de custódia que vai definir seu futuro. “Esperamos que o flagrante seja convertido em prisão preventiva, mas só a Justiça vai poder definir isso. Pode ser que ele seja liberado para responder em liberdade”, considerou Emanuele Siqueira, informando ainda que o homem não tinha passagens criminais.

Celular de Peterson tinha vídeos em que Renata Larissa aparecia nua e algemada em matagal