Menos de 12 horas na cadeia. Esse foi o tempo que três suspeitos de envolvimento em furtos a instituições de ensino ficaram presos nessa terça-feira (29). Eles foram detidos na madrugada durante uma ação realizada pela equipe do 6º Distrito Policial (DP). Foram mais de trinta dias de investigações e quatro pessoas acabaram presas. Apenas Cleonice Cristina Teodoro, 40 anos, permaneceu detida, já que dentro da sua casa havia diversos equipamentos eletrônicos de origem duvidosa que foram apreendidos na ação. Ela foi autuada em flagrante.

Segundo o delegado Adriano Ribeiro, os quatros estão envolvidos em furtos a dois Centros Municipais de Educação Infantil (CMEI) e três escolas municipais da Capital. As prisões aconteceram em duas residências do bairro Cajuru e os crimes aconteceram em sequência nos dias 30 e 31 de julho e, posteriormente, houve registros nos dias 02 e 08 de agosto.

Foto: Átila Alberti.
Foto: Átila Alberti.

Na delegacia, as jovens de 20 e 23 anos, disseram à imprensa que teriam roubado um veículo Sandero. E um homem, de 37 anos, envolvido no crime, ficou calado durante toda a coletiva. Os três foram soltos quinze minutos depois da presença dos jornalistas. Para serem liberados, não houve pagamento de fiança.

Uma das jovens saiu da delegacia acompanhada da outra suspeita de participar do crime. Ambas são namoradas e debocharam da imprensa no momento da saída. Quando questionada se o crime compensa e se iríamos vê-la novamente, ela riu e disse que “Me verá em breve, sim, com uma ‘nave’ mais forte e ainda melhor. Vai me ver na rua dirigindo! Os meus planos futuros são voltados pra outra fuga”.

O delegado Adriano Ribeiro ainda comentou sobre a soltura de três dos quatros suspeitos. “Infelizmente o sexto distrito está tomado de indignação. Saímos de madrugada por volta de três horas da manhã, na ânsia de comunica o judiciário, que imediatamente expediu o alvará de soltura a eles, concedendo liberdade provisória sem pagamento de fiança. Infelizmente não houve tempo nem de acontecer uma audiência de custódia”.

Foto: Átila Alberti.
Foto: Átila Alberti.

A investigação

Com uma parceria entre a Guarda Municipal a investigação foi fechada e, Cleonice, que estaria com os objetos furtados, foi identificada. A partir do encontro dessa mulher e outras informações a equipe policial se deslocou a outra residência, que seria do homem envolvido, e encontrou as duas jovens que estavam com um veículo Sandero roubado na semana passada. Elas contaram à policia que o rapaz, que estaria envolvido, estava chegando ao local. Ele foi preso em flagrante pelo furto praticado contra um CMEI no Cajuru, na noite de segunda-feira (28), segundo a polícia.

Por enquanto, foram identificadas cinco instituições vítimas de furtos. As autoridades acreditam que o rapaz deve fazer parte de uma quadrilha.

Registros

Ao longo de 2017, a Tribuna do Paraná já registrou diversos assaltos a Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) da cidade. Somente entre os meses de janeiro e agosto deste ano, 505 furtos nas escolas municipais de Curitiba foram registrados, segundo a Secretaria Municipal de Educação.

Ainda nesse mês, o CMEI do bairro Cajuru, registrou dois assaltos em três dias. Na primeira ocasião foram levados televisores, rádios, cobertores e até mesmo brinquedos. No segundo episódio, a dispensa foi invadida e alimentos foram levados dos pequenos alunos da instituição. No bairro Alto Boqueirão também há um registro de furto onde foram levados dois botijões de gás de 45 quilos e alguns equipamentos usados pelas crianças no pátio.