Foto por: John Thys

Os jogadores da seleção holandesa, derrotada no domingo pela Espanha (1-0) na final da Copa do Mundo da África do Sul, percorreram nesta terça-feira os canais de Amsterdã em um desfile de barco, aclamados por milhares de torcedores de todo o país.

O técnico Bert van Marwijk e seus jogadores entraram em um barco decorado com flores laranja que zarpou pouco antes das 15h00 locais (10h00 de Brasília) sob os aplausos da multidão e o barulho das vuvuzelas.

O desfile estava previsto a princípio apenas em caso de vitória.

“Segundo também é um bom resultado! Mesmo que não sejamos campeões mundiais, também decidimos organizar o desfile”, explicou à AFP Hilde Bruggink, uma porta-voz da federação holandesa de futebol (KNVB).

“Queremos que todos possam desfrutar dos jogadores, vê-los, saudá-los”, acrescentou a porta-voz.

Mais de meio milhão de pessoas, segundo a Polícia, se reuniram ao longo dos canais para homenagear seus jogadores. “Nunca vi a equipe holandesa lutar até o final dessa maneira. Os jogadores merecem sem dúvida comemorar nos canais, mesmo que não tenham vencido”, explicou Denney de Jonge, de 40 anos.

“No domingo, estávamos muito decepcionados. É normal, mas agora estamos muito orgulhosos: segundos do mundo, quando você pensa bem, não é nada mau”, assegurou Nico Bakker, de 23 anos, com as bochechas pintadas com as cores vermelho, branco e azul, da bandeira da Holanda.

O barco que levava os vice-campeões mundiais foi seguido por dezenas de embarcações, lotadas de torcedores que saudavam seus ídolos e gritavam de alegria.

“Obrigado garotos”, estava escrito em um cartaz colocado em uma fachada à beira do canal. Outras pessoas chegaram a se jogar na água ou a escalar postes.

“Uma festa como esta nos ajuda a digerir a decepção de domingo”, afirmou Stefan Bons, de 25 anos, que vestia uma camisa de cor laranja junto com uma peruca e uma cauda de leão. “Não sabemos quando a Holanda voltará a disputar uma final de Mundial, e devemos aproveitar ao máximo”, acrescentou.

Após o desfile de sete quilômetros, os jogadores subirão em um palco da praça Museumplein, diante do Rijksmuseum, no mesmo local onde no domingo se reuniram 180.000 pessoas para assistir à final exibida em um telão.

Cerca de 1.800 policiais estarão mobilizados para o evento e telões serão instalados em cinco pontos da cidade.

Os jogadores holandeses, que chegaram na segunda-feira ao seu país vindos da África do Sul, foram recebidos nesta terça-feira de manhã em Haia pelo primeiro-ministro Jan Peter Balkenende, “orgulhoso” por sua atuação, e pela rainha Beatriz.