O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) está sendo acusado pela destruição das benfeitorias da fazenda Três Marias, no município de Manoel Ribas, Paraná. Hoje, após vistoriar a área, que esteve em poder dos sem-terra durante 16 meses e foi desocupada no fim de semana o fazendeiro Nelson Lacerda manifestou seu espanto: “Eles destruíram tudo que encontraram pela frente, da sede da fazenda aos galpões de manejo do gado.”

Segundo o presidente da União Democrática Ruralista (UDR) do Norte do Paraná, Marcos Prochet, que acompanhou o fazendeiro, os sem-terra também roubaram equipamentos e produtos agrícolas: “O que não puderam roubar, destruíram. Foi pior do que uma nuvem de gafanhotos.”

A fazenda, com 900 alqueires, dos quais 500 ocupados por pastagens, foi invadida pelo MST em maio de 2003. Três dias depois os proprietários obtiveram na Justiça liminar de reintegração de posse. Mas tiveram de esperar até o fim da semana passada para seu cumprimento.

Os sem-terra saíram em caminhões fornecidos pelo governo do Estado e acompanhados pela Polícia Militar. Eles querem a desapropriação da área. Argumentam que se trata de área improdutiva e, de acordo com as leis, deve ser destinada à reforma agrária.