A Sema, por meio do IAP, contestou as alegações apresentadas pela Prefeitura de Curitiba relacionadas ao acondicionamento do lixo urbano e hospitalar, objeto de multa aplicada na terça-feira. A primeira contestação refere-se ao laudo da Universidade Federal do Paraná (UFPR) que não teria identificado a contaminação do lençol freático pela vala séptica de destinação do lixo hospitalar, localizada na Cidade Industrial de Curitiba. (Leia mais na edição de amanhã do jornal O Estado do Paraná)