Brasília – A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) promove a partir desta terça-feira (24) o 1º Seminário Internacional sobre Rotulagem e Propaganda de Alimentos. Segundo a Anvisa, o objetivo é discutir a influência dos rótulos e da propaganda de alimentos na escolha dos produtos que serão consumidos pela população.

De acordo com a gerente de monitoramento e fiscalização de propaganda da Anvisa, Maria José Delgado, as embalagens dos alimentos ricos em açúcar e gorduras são os principais tipos que contém informações enganosas ou não dispõem de avisos sobre o prejuízo que podem causar à saúde.

Uma pesquisa realizada pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP) mostrou que 57,8% dos produtos alimentícios anunciados na televisão entre 1998 e 2000 eram ricos em gordura e açúcar. Maria José Delgado afirma que esse tipo de publicidade é dirigido principalmente a crianças, em horários de programação infantil.

?No geral esses alimentos são ricos em açúcar e gorduras, podendo então possibilitar a uma criança já parada em frente à televisão, sem nenhuma atividade física, condições impróprias, (levando-a) a se tornar obesa. Em decorrência disso podem surgir doenças como diabetes, hipertensão, entre outras?, afirma a técncia da Anvisa.

A gerente de produtos especiais da Anvisa (produtos para dieta), Antônia Aquino, explica que os alimentos que se acredita serem benéficos para a saúde também são alvo de propaganda irregular. ?É um alimento que diz que ajuda a reduzir o colesterol, que ajuda o funcionamento do intestino. Essa é a categoria de alimentos que cresce, não somente no Brasil mas no mundo, e que precisa ter um certo controle de governo?, diz.