Brasília ? Dez capitais serão visitadas este ano, por parlamentares, para o debate sobre uma política permanente de recuperação do salário mínimo. É o que está previsto na agenda aprovada hoje (25) pela Comissão Especial Mista do Salário Mínimo. O relator da comissão, senador Paulo Paim (PT-RS), pretende reunir sugestões dos mais diferentes setores da sociedade.

Ele espera que a proposta para a política permanente esteja pronta e aprovada pelo Congresso Nacional até setembro deste ano. Como isso, será possível coordenar os cálculos com o orçamento de 2007, votado até dezembro.

"Vamos ao bairro, à vila, à fábrica, para saber qual a efetiva situação do assalariado brasileiro e construir pela primeira vez na história do país uma política de recuperação do mínimo", diz Paim, que também vai consultar órgãos como o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a Fundação Getúlio Vargas, o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e as universidades.

O senador defende que o mínimo aumente conforme a inflação e o dobro do Produto Interno Bruto. Além disso, ele sugere uma política de recuperação que contemple os aposentados e pensionistas.

Neste momento, Paim e outros parlamentares da Comissão Especial Mista do Salário Mínimo participam, no Congresso, de audiência com o ministro do Trabalho, Luiz Marinho. O ministro foi elogiado pelos deputados e senadores por sua participação nas negociações que resultaram no aumento do salário mínio de R$ 300 para R$ 350 a partir de abril.