Brasília (AE) – A senadora Heloísa Helena (Psol-AL) subiu hoje à tribuna do Senado para denunciar que recebeu, no fim de semana, duas ligações telefônicas com ameaças de morte. Heloísa pediu ao corregedor do Senado, Romeu Tuma (PFL-SP), que requeira à Polícia Federal (PF) para fazer o monitoramento de todos os telefones (o celular, o do gabinete e o residencial). Ela não quer, no entanto, proteção policial. Na avaliação de Heloísa, o governo está por trás das ligações anônimas que recebeu.

"O governo Lula, junto com sua base de bajuladores, precisa saber que se a camarilha do Palácio do Planalto pode achar que vai me impor o medo, a velha ameaça dos expurgos e da tirania para desmoralizar ou matar quem não se curva, pode tirar o cavalo da chuva que ele vai morrer de pneumonia", afirmou. Sob a alegação de proteger os filhos, a senadora do Psol de Alagoas preferiu não dar detalhes sobre as ameaças que recebeu no fim de semana. Heloísa disse, no entanto, que é seguida. A senadora do Psol insinuou ainda que a Polícia Federal (PF) poderá estar por trás das ligações clandestinas. "Só quero que saibam que eu sei o que está acontecendo. Se faziam, clandestinamente, que façam agora oficial", afirmou. "Se comprados da Polícia Federal estão fazendo esse tipo de coisa clandestina para me ameaçar, agora, vão responsabilizar-se, oficialmente, por qualquer coisa que possa acontecer a mim, aos meus filhos ou a meu irmão, que sai pelas madrugadas dando plantão no interior de Alagoas." No discurso, Heloísa ressaltou ainda que não fica "nem um pouco arrepiada" com as ameaças que recebeu.

"Passei a vida engolindo os meus próprios medos, escondendo as minhas fraquezas para não ficar dia da tocaia do medo", disse Heloisa Helena, que tem tido atuação destacada na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Correios.