São Paulo – O prefeito de São Paulo, José Serra (PSDB), pré-candidato a presidente, deixou de lado hoje o discurso de chefe do Executivo municipal e abriu a fala na festa de inauguração de uma escola na zona norte da capital paulista, com um pronunciamento político, recheado de críticas ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, principalmente sobre a política econômica.

A atitude chamou a atenção porque, até então, Serra dava esse tipo de declaração somente em entrevistas, mas não em discurso para eleitores.

"Houve a ficção no passado de que, com essas pessoas que estão no governo, a gente teria um governo mais desenvolvimentista, mais moderno, mais progressista. A gente viu que nada disso aconteceu, mas, pelo nosso lado, muito modestamente, a gente pode dizer aquilo que o que nós dissemos está acontecendo (na Prefeitura)", afirmou, na abertura da fala para uma platéia de cerca de 50 eleitores.

Em tom típico de palanques eleitorais, ele criticou a política econômica do governo. "Espero que essa fábrica (onde pousou de helicóptero para o evento) continue funcionando e que, daqui a pouco, não se esteja importando produtos ortopédicos da China com essa política econômica do governo, que pode levar ao fechamento muito maior de indústrias nacionais do que já aconteceu."

Apesar das críticas do cenário político nacional, Serra continua recusar-se a falar sobre a possibilidade de vir a ser o candidato tucano nas eleições presidenciais. "Não vou falar sobre isso", repetiu, quando perguntado por três vezes sobre concorrer ou não ao cargo. Sobre por que gosta de falar sobre a política nacional, mas não de eleição, o prefeito de São Paulo desconversou. "Eu falo sobre isso porque vocês me perguntam."

Serra acusou ainda Lula de só fazer publicidade. "Quem não tem fome acha que tem Fome Zero para os outros, mas a verdade é que não tem para ninguém. O Primeiro Emprego (outro programa social) também não tem, mas tem a propaganda", disse. Serra emendou: "Marketing é o que o governo do PT faz bem. Da nó em pingo d’água." Sobre o resultado da pesquisa de intenção de voto da Confederação Nacional do Transporte (CNT) encomendada ao Instituto Sensus, que mostrou uma recuperação do presidente frente aos demais possíveis candidatos – até mesmo o prefeito -, Serra afirmou que o motivo do crescimento é o marketing bem-feito da administração federal.