Manaus – Os servidores estaduais envolvidos nas fraudes investigadas pela Operação Saúva ? uma ação conjunta da Polícia Federal, da Receita Federal e do Ministério Público Federal ? serão exonerados, segundo o secretário de segurança pública do Amazonas, Francisco Sá Cavalcante.

Além do superintendente da Companhia Nacional de Abastecimento no Amazonas (Conab), Juscelino Moura, e o secretário-executivo da Secretaria Estadual da Fazenda, Afonso Lobo, o procurador da República Frederico Pellucci declarou que outros servidores públicos, todos eles de baixo escalão, ainda devem ser indiciados.

De acordo com o chefe da Delegacia de Prevenção e Repressão a Crimes Fazendários da Polícia Federal, Jossenildo Cavalcate, 29 dos 32 mandados de prisão preventiva expedidos para a operação já foram cumpridos. A maior parte dos presos são empresários do ramo de fornecimento e distribuição de gêneros alimentícios.

Em um ano de investigação, a quadrilha teria fraudado licitações que movimentaram R$ 126 milhões dos cofres públicos da Conab, do governo do Amazonas, do Exército Brasileiro, e das prefeituras de Manaus e de Presidente Figueiredo (AM).