Brasília (AE) – O deputado Severino Cavalcanti (PP-PE) vai renunciar ao mandato de presidente da Câmara, mas não deixará os parentes na mão. Ele negociou a permanência na Casa de quatro parentes diretos que ocupam cargos de confiança: a nora Olga Maria, a filha Catharina Amélia, a irmã Marlene Cavalcanti e a neta Rafaella, que têm salários entre R$ 1,6 mil e R$ 7,5 mil.

Severino garantiu também a permanência do filho José Maurício Valadão Cavalcanti na delegacia regional do Ministério da Agricultura de Pernambuco. Ele é marido de Olga e pai de Rafaella. Só depois que o presidente Lula nomeou José Maurício, que trabalhava no gabinete do pai, Severino anunciou que passaria a integrar, com toda fidelidade, a base de apoio ao governo. Prometeu e cumpriu.

Também está assegurada a permanência do ministro das Cidades, Márcio Fortes, da cota de Severino e do PP. Todos os secretários de programas da pasta serão mantidos.

Auxiliares do presidente Lula informaram hoje que a decisão de manter no cargo tanto Márcio Fortes quanto José Maurício deve-se, principalmente, ao fato de que o governo trabalha para que o PP permaneça na sua base de sustentação no Congresso e não quer abrir nova crise. Além do mais, disse um auxiliar de Lula, Fortes tem demonstrado competência para servir ao governo desde que era secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento.

Quanto a José Maurício, a informação no Palácio do Planalto é de que o presidente Lula gosta do trabalho que ele faz. O Planalto pretende manter todo o pessoal do PP na administração federal, para mostrar que a queda do presidente da Câmara não vai abalar a sua base de sustentação.

Quem ainda não está com a situação definida é Gabriela Kênia Martins, secretária de Severino. Foi ela quem descontou o cheque de R$ 7,5 mil emitido por Sebastião Buani, dono do Restaurante Fiorella, que acusa Severino de ter-lhe cobrado propina para prorrogar a concessão do serviço. À PF Kênia disse que o cheque fora uma contribuição para a campanha de Severino Júnior a deputado estadual em 2002. Júnior morreu em acidente de carro antes da eleição. Kênia ocupa um cargo de natureza especial no gabinete da presidência da Câmara.

TCU

O deputado Augusto Nardes (PP-RS), pupilo de Severino, toma posse amanhã (20) no cargo vitalício de ministro do Tribunal de Contas da União. O presidente do TCU, Adylson Motta, comandará o ato. Motta havia pedido ao presidente Lula – depois de fazer a comunicação a Nardes – que não assinasse o ato de nomeação até que fossem esclarecidas as suspeitas sobre o envolvimento do novo ministro no esquema do ‘mensalão’. Uma lista apócrifa que circulou pela CPI dos Correios incluiu Nardes entre aqueles que supostamente receberiam uma mesada para votar a favor de projetos de interesse do Palácio do Planalto. Como não se confirmou a suspeita, Lula nomeou Nardes na semana passada.

Nardes se despediu hoje de seus colegas de Câmara. "Combati o bom combate, cumpri a carreira, guardei a fé", disse ele, repetindo o apóstolo Paulo (Segunda Carta a Timóteo, capítulo 4, versículos 7-8).