O presidente da Câmara, deputado Severino Cavalcanti (PP-PE), saiu há pouco em defesa do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ao chegar à sede do Congresso. Em entrevista, ele disse que até agora não há denúncia contra Lula. "Nós temos de ver a coisa com muita cautela, porque é o presidente da República, e nós não podemos jogá-lo à execração publica sem ter realmente uma coisa que comprove", ponderou Severino.

O presidente da Câmara disse que é prematuro falar em impeachment de Lula. "É prematuro demais. Não tem nada que comprove. Todas as denúncias que têm chegado têm sido rechaçadas porque não têm conteúdo", afirmou.

Ele considerou grave a entrevista publicada hoje pela revista Época, em que o presidente do PL, Valdemar Costa Neto (SP), afirma que "Lula sabia do acordo de R$ 10 milhões com o PL". "Temos de esperar o que o presidente vai dizer. É realmente grave, mas eu não posso afirmar nada, nem tenho uma posição firmada sobre o assunto", disse Severino.

Segundo ele, sempre que uma pessoa afirma algo contra outra, esta tem o direito de se defender.

Questionado se já pensou na hipótese de assumir a presidência da República, Severino assegurou que "jamais" pensou nela. Terceiro na sucessão, o presidente da Câmara assume a presidência no caso de afastamento do presidente e de seu vice. "Eu não penso em nada disso", afirmou. "Eu penso em fazer o País trabalhar. Nós temos que criar todas as condições para que o País possa sair dessa situação difícil que está passando. Nós temos de pensar, antes, no País do que em casos especiais".

Severino ressaltou que o objetivo dele é fazer com que Lula saia dessa situação.