Brasília – O presidente da Câmara, Severino Cavalcanti (PP-PE), disse hoje (03) estar preocupado com o que qualificou de excesso de representações contra deputados. Ontem (02), o PL e o PTB apresentaram ao Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara oito pedidos de cassação. Na avaliação de Cavalcanti, não há como encaminhar as oito representações de uma vez porque o órgão não tem estrutura para analisar esses pedidos simultaneamente.

"Quanto tempo está sendo examinado o processo de cassação do deputado (Jefferson) e até agora não se resolve? O que eu quero é punição para aqueles que feriram o decoro parlamentar, os princípios éticos e morais da Casa", afirmou.

O PL protocolou nesta quarta na Mesa Diretora da Câmara seis representações contra deputados do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). O PL justifica a representação contra os deputados Sandro Matos (RJ), Neuson Lima (SP), Joaquim Francisco (PE) e Alex Canziani (PR) com o argumento de que houve quebra de decoro parlamentar por terem recebido vantagens indevidas com dinheiro não-contabilizado para o pagamento de dívidas de campanhas eleitorais.

O PL também pede a cassação do deputado Francisco Gonçalves Filho (PTB-MG) por supostamente ter mentido ao afirmar em entrevista que viu no plenário da Câmara uma mala contendo dinheiro. O PL ainda pede a cassação do deputado Romeu Queiroz (PTB-MG) que teria supostamente recebido dinheiro não-contabilizado do tesoureiro do PTB, Emerson Palmieri.

Já o PTB protocolou ontem no Conselho de Ética representação contra os deputados José Dirceu (PT-SP) e Sandro Mabel (PL-GO) por quebra de decoro parlamentar. José Dirceu foi acusado de estar diretamente envolvido no pagamento de mesadas a parlamentares, enquanto Sandro Mabel seria um dos responsáveis pelo repasse do mensalão a parlamentares do seu partido. Embora a representação do PTB tenha sido protocolada ontem, ela ainda não foi encaminhada à Mesa Diretora da Câmara.

Depois de analisar as representações, a Mesa tem que encaminhá-las ao Conselho de Ética para a abertura dos processos. O presidente Severino Cavalcanti já adiantou que vai encaminhar ao Conselho as representações por ordem de chegada à Mesa Diretora. O Conselho de Ética tem o prazo regimental de 90 dias para analisar cada representação.