O ex-secretário-geral do Partido dos Trabalhadore, Silvio Pereira foi beneficiado por uma decisão negociada com o procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, que o livrou da incômoda condição de réu no rumoroso processo do mensalão. Em troca, Silvio comprometeu-se a prestar serviços comunitários.

Embora não se saiba quais os serviços comunitários que deverá prestar a partir de agora, o ex-dirigente petista reconheceu que realizou esse tipo de ação ao longo de 23 anos. É possível que esteja se referindo ao tempo dedicado ao PT, desde a época de simples militante. Ao que parece, um tempo gasto em inutilidades.

Pereira era o encarregado da infindável relação de petistas recomendados pela direção partidária para a ocupação de cargos na administração federal. Milhares de companheiros passaram por sua avaliação e foram devidamente instalados em ministérios, empresas estatais e extensões da máquina administrativa nos estados.

O tropeção fatal do ex-secretário petista foi aceitar o mimo ofertado – uma  perua Land Rover – por um empresário baiano interessado em prestar serviços à Petrobras. O sonho de consumo de pequeno burguês se realizou quando o bólido apareceu, certo dia, na garage mde sua residência. Mas durou pouco.

Comparado às hienas que de fato levaram o PT ao descrédito absoluto, Silvio Pereira é digno de clemência.