O senador Pedro Simon (PMDB-RS) fez há pouco, da tribuna, um apelo dramático ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, para que ele faça um pronunciamento à Nação, hoje à noite, explicando seus erros "se é que errou", antes de ter que agir por imposição das CPIs. "Aja, presidente, tenha coragem, tenha hombridade, tenha o patriotismo de falar e não fazer prosperar uma situação que seria terrível para o País".

Segundo Simon, essa situação ocorreria caso as CPIs venham a cassar o mandato do presidente. "Isso seria uma tragédia, porque transformaria o presidente Lula em uma vítima e o PT em herói". Simon reafirmou que se deixar para segunda-feira Lula terá de seguir os caminhos ditados pela CPI, tendo em vista que o depoimento do publicitário Duda Mendonça deu uma dimensão nova às investigações, ao atingir o presidente.

Simon defende que Lula siga o conselho do presidente do PT, Tarso Genro, reúna o Conselho da República e fale ao País. "Se cometeu erro, dizer sobre os erros cometidos e dizer o que pretende fazer no futuro. E se for o caso, que convoque a oposição, os emprésários e demais setores do País para encontrar uma saída. Caso contrário vai ser uma luta de consequências imprevisíveis" alertou. Simon também lembrou que a cassação do Lula implicaria em criar a imagem de ter no País um Congresso desmoralizado, cheio de corruptos e de mensalão, tentando atingir um presidente trabalhador, para que ele não atingisse os seus objetivos. Ele disse ainda que essa situação de hoje nada tem a ver com as crises que atingiram os presidentes Getúlio Vargas e João Goulart, porque ocorreram muito em função de mentiras. "Agora a crise está dentro do governo".