O Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST) é uma reação do povo brasileiro, que está sem perspectiva e sem condições de viver do seu trabalho. Por isso, o MST só pode ser combatido com o desenvolvimento econômico e com a geração de emprego no o país. Foi o que defendeu o governador Roberto Requião, neste domingo (25), durante a entrevista coletiva ao programa Canal Livre, da Band.

De acordo com o governador, o MST é um movimento social que não pode ser satanizado pela mídia brasileira porque é uma reação saudável de parte dos brasileiros que hoje vivem em condições miseráveis. “Ou temos desenvolvimento econômico ou vamos tratar todos os movimentos sociais como caso de polícia, e isto não vai acontecer no Paraná”, afirmou Requião.

O governador também voltou a afirmar que é contra a invasão de áreas consideradas produtivas e explicou que, desde janeiro do ano passado, o Governo do Estado já fez 49 reintegrações de posse. Em todos os casos não houve conflitos ou tragédias.

No Paraná, explicou Requião, as reintegrações ocorrem após o governo acionar com antecedência o Tribunal de Justiça, o Ministério Público e a imprensa. “Quem quer combater o MST deve fazê-lo com reforma agrária, emprego e desenvolvimento social”, defendeu.