Os postos da polícia na capital paulista amanheceram hoje (15) com reforço policial e barreiras parciais nas ruas para prevenir novos ataques criminosos. O rodízio municipal de veículos foi suspenso logo cedo porque algumas empresas de transporte público mantiveram os ônibus nas garagens por falta de segurança.

Estima-se que até agora mais de 40 ônibus foram incendiados só na capital, mas a Secretaria de Estado de Segurança Pública não soube informar o número oficial. Ainda não há novo balanço da onda de crimes que começou na noite de sexta-feira (12).

Os dados oficiais mais recentes foram apresentados ontem (14) e mostram um total de 115 ataques contra prédios públicos e postos das polícias Civil e Militar em todo o estado. Pelo menos 50 pessoas foram assassinadas: 20 policiais militares, cinco policias civis, três guardas metropolitanos, oito agentes penitenciários, 14 criminosos e dois civis. Nos três dias de conflitos 39 pessoas ficaram feridas.