Brasília – O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), deve decidir, até amanhã (29), se repassa à Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Sanguessugas documentos referentes às investigações sobre a compra superfaturada de ambulâncias com recursos do Orçamento da União.

A informação foi dada pelo presidente da CPMI, deputado Antônio Carlos Biscaia (PT-RJ), que solicitou ao ministro do STF o repasse das informações sobre o andamento das investigações conduzidas pelo Ministério Público e Polícia Federal.

O procurador-geral da República, Antônio Fernando de Souza, requereu ao ministro Gilmar Mendes que todo o processo tramitasse em segredo de Justiça, o que foi acatado pelo relator do caso no STF. Na conversa com o ministro do Supremo, o presidente da CPMI disse que não terá como garantir o sigilo das informações que porventura sejam repassadas à comissão.

"Eu não tenho como assegurar isso. Na medida em que a CPI receba os documentos, a eles terão acesso os parlamentares que integram a comissão. Eu não posso me responsabilizar individualmente para que nenhum dos deputados dê entrevistas", argumentou Biscaia, ressaltando que os deputados e senadores serão "muito assediados" pela imprensa.