A cantora mexicana Gloria Trevi e o seu filho de 5 meses, Angel Gabriel, terão de voltar para a prisão. O ministro Carlos Velloso, do Supremo Tribunal Federal (STF), cassou hoje a decisão do presidente da Corte, Marco Aurélio Mello, que há 12 dias tinha determinado a transferência da artista e de sua ex-produtora Maria Raquenel, a Mary Boquitas  para um convento em Brasília. As duas são acusadas no México de corrupção de menores e rapto.

Em um despacho de seis páginas, Velloso lembra que o Supremo concedeu a extradição em dezembro de 2000 a pedido do governo mexicano e, posteriormente, negou-lhes o direito de prisão domiciliar.

Nem o argumento de que a Justiça mexicana teria suspendido em julho a ordem de prisão contra Gloria e Maria convenceu Velloso. Para o ministro, uma eventual desistência da extradição teria de ser informada oficialmente ao STF pelo governo do México, o que não teria ocorrido até agora.

Velloso determinou que Gloria retorne para a 3.ª Delegacia de Polícia do Distrito Federal, onde esteve entre abril e julho. Maria terá de voltar para a Penitenciária da Papuda.

Essa não é a primeira vez que uma decisão de Marco Aurélio beneficiando Gloria é cassada pelo Supremo. Em abril, os ministros determinaram que a cantora fosse transferida de um hospital público para a delegacia. Por ordem de Marco Aurélio, ela estava no hospital desde dezembro, onde deu à luz.