Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiram transferir da Justiça Federal para o STF a competência para julgar um mandado de segurança da cantora mexicana Gloria Trevi contra o Comitê Nacional de Refugiados (Conare). A artista pediu ao Conare que reconhecesse a sua condição de refugiada. Mas o órgão do Ministério da Justiça negou a solicitação.

Com a transferência do caso para o STF, o tribunal deverá resolver se o pedido de Gloria deve ser aceito ou se ela deve ser imediatamente extraditada para o México. A cantora e dois ex- assessores são acusados naquele país de corrupção de menores.

Em dezembro de 2000, o STF autorizou a extradição dos três. Mas até hoje eles não viajaram. Gloria ficou grávida na prisão e no início do ano deu à luz Angel Gabriel. Atualmente, os dois estão em uma cela de uma delegacia de Brasília.