O subdiretor-geral para Ciências Humanas e Sociais da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), Pierre Sané, afirmou que o Brasil está atrasado em pelo menos 40 anos, em relação a outros países, na questão dos direitos humanos. Entretanto, Sané assegurou que isso pode ser positivo para os brasileiros, que podem inovar. “O Brasil pode aprender sobre as coisas que funcionaram e avançar na adoção de novas estratégias”, afirmou.

A visita de Sané ao País tem como objetivo principal conhecer os projetos sociais e conversar com autoridades, como fez ao se encontrar com os ministros da Justiça, Miguel Reale Júnior, e da Previdência, José Cechin, além da presidente do Programa Comunidade Solidária, d. Ruth Cardoso e a secretária da Assistência Social, Wanda Engel. Sané discutiu também a questão de ressarcimento dos descendentes de escravos pelos danos causados no passado.