As transações correntes no mês de junho apresentaram superávit de US$ 1,252
bilhão. O indicador veio perto do piso das estimativas de analistas consultados
pela Agência Estado, que variavam de superávit de US$ 1,1 bilhão a US$ 2,2
bilhões, e abaixo da mediana das projeções, que ficou em US$ 1,5
bilhão.

A conta financeira apresentou déficit de US$ 1,873 bilhão e o
balanço de pagamentos registrou déficit de US$ 431 milhões, segundo os dados
divulgados hoje pelo Banco Central. O BC destacou o superávit recorde na balança
comercial do mês de junho, que ficou em US$ 4,030 bilhões, a captação de US$ 1,1
bilhão em bônus da República e o pagamento de US$ 1,7 bilhão de parcelas de
empréstimo ao FMI.