A meta de superávit primário para este ano foi ampliada de 3,75% para 4,25% do Produto Interno Bruto (PIB), segundo anunciou o ministro da Fazenda, Antônio Palocci. “A equipe econômica avaliou que o superávit de 3,75% seria insuficiente para cumprir o objetivo central do governo com relação à dívida pública, que era o de estabilizar e buscar o esforço fiscal, monetário e cambial, fazendo com que a melhoria do quadro econômico levasse a futura queda na relação da dívida com o PIB”, explicou o ministro.