A Polícia Militar de Franca, no interior de São Paulo, prendeu ontem (30) o borracheiro Renon Tomás da Costa (o Vaca), de 29 anos. Costa foi autuado por tráfico de drogas, resistência à prisão e ameaças de morte a um PM e sua família. Ele é suspeito de ser um dos líderes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) na zona norte de Franca. Na Delegacia de Investigações Gerais (DIG), Costa negou integrar o PCC e acusou os policiais de terem feito uma armação contra ele.

Costa já estava sendo investigado pela polícia da cidade por ser o suposto comandante de ataques a ônibus urbanos e a casas de policiais. Ele também é suspeito de ser caixa do PCC na cidade. Um PM que teve a casa alvejada por tiros foi um dos responsáveis pela prisão de Costa. O borracheiro estava na garupa de uma moto pilotada por uma mulher e não parou na primeira abordagem policial. Ele jogou uma sacola e, pouco depois, a moto foi estacionada. A polícia recuperou a sacola, que continha quase 100 quilos de maconha. Costa foi levado para a Cadeia do Jardim Guanabara.

Outro suspeito de integrar o PCC, Elton Miranda de Almeida (o Bicudo), de 23 anos, foi detido em 2 de agosto. Apesar de procurado, foi detido por acaso, em abordagem de rotina. Ainda ontem, quatro suspeitos de integrar o PCC foram detidos no Jardim Redentor, para averiguação. Eles levavam R$ 700, que seriam depositados. Os quatro têm passagens por tráfico ou homicídio, mas não eram procurados e foram liberados. Porém, o dinheiro foi apreendido e a polícia de Franca irá rastrear a conta bancária na qual seria feito o depósito.