Foto por: Rodrigo Arangua

A Alemanha venceu o Uruguai por 3 a 2 na partida pelo terceiro lugar da Copa do Mundo por ter sido mais eficiente dentro da área, afirmou neste sábado o treinador do Uruguai, Óscar Tabárez. “O que foi mais eficiente na área, o que menos erros cometeu, foi o que venceu. Nos doeu perder, mas acredito que outra vez demos mostras de que jogamos de igual para igual”, disse o treinador uruguaio, em uma coletiva de imprensa, no estádio Nelson Mandela Bay. Tabárez afirmou que sua equipe jogou “contra uma potência do futebol” e sustentou que o Uruguai “poderia ter vencido”, mas terminou com o quarto lugar.

Foto por: Rodrigo Arangua

A Alemanha venceu o Uruguai por 3 a 2 na partida pelo terceiro lugar da Copa do Mundo por ter sido mais eficiente dentro da área, afirmou neste sábado o treinador do Uruguai, Óscar Tabárez.

“O que foi mais eficiente na área, o que menos erros cometeu, foi o que venceu. Nos doeu perder, mas acredito que outra vez demos mostras de que jogamos de igual para igual”, disse em uma coletiva de imprensa, no estádio Nelson Mandela Bay.

Tabárez afirmou que sua equipe jogou “contra uma potência do futebol” e sustentou que o Uruguai “poderia ter vencido”, mas terminou com o quarto lugar, em uma partida que chamou de “bom espetáculo”.

“As equipes se alternaram no controle de jogo (…) Houve oportunidades claras para marcar em ambos os lados (…) Por alguns momentos dominamos a Alemanha. Mas o segundo gol alemão foi um balde de água fria, porque saiu de uma jogada isolada”.

Tabárez acredita que os jogadores guiados por ele conseguiram provar que podem enfrentar qualquer seleção, após a boa campanha desta Copa.

“Demonstramos que podemos jogar de igual para igual com qualquer equipe, não importa qual seja o time, porque não existem seleções superiores a essas que estão aqui. Tentamos jogar como um time moderno, no sentido de que somos conscientes do nível da competição. Estivemos muito bem na defesa, jogamos bem em várias partidas com a intenção de atacar o adversário”, explicou.

O treinador também reconheceu que sua seleção foi uma das surpresas da competição, já que há muitos anos (40) o Uruguai não chegava tão longe em uma Copa, e que a partir desse momento há uma base a ser desenvolvida.

“Somos conscientes de que aqui fomos uma surpresa, e talvez ainda estejamos abaixo das outras três equipes (semifinalistas), mas não muito longe. O caminho está trilhado, vamos tentar desenvolver isto com os jovens. Há várias décadas (4) não chegávamos aqui (semifinais) e, se melhoramos um pouco, poderemos fazer um grande papel nos torneios internacionais”, afirmou o ex-treinador do Peñarol, Boca Juniors, Cagliari e AC Milan, entre outros.