Foto por: Rodrigo Arangua

O treinador do Uruguai, Óscar Tabárez, afirmou nesta sexta-feira, após sua seleção passar às semifinais da Copa do Mundo ao derrotar Gana nos pênaltis, que “fizemos o que tínhamos que fazer”.

O Uruguai se refez após ter a partida praticamente perdida nos acréscimos da prorrogação, quando Asamoah Gyan cobrou pênalti sobre o travessão.

“Fizemos o que tínhamos que fazer e isso me deixa satisfeito. Todos gostamos de um bom futebol, mas aconteceu assim e há tempos não acontecia algo parecido”, afirmou Tabárez.

“Os que acreditam no destino ou nas coisas pré-determinadas podem explicar. Eu não acredito nestas coisas. Foi uma partida dura, porque não jogamos bem, tivemos situações dificílimas, já que caímos em desvantagem com um gol nos acréscimos do primeiro tempo e depois esse pênalti”.

O treinador lembrou do povo uruguaio, que comemora a passagem às semifinais após a vitória, depois de 40 anos sem chegar a essa fase.

O Uruguai foi campeão do mundo em 1930 e 1950, e depois sua melhor classificação foi a quarta posição em 1954 e 1970, algo que a seleção uruguaia já conseguiu igualar nesta Copa.

“Os únicos que realizaram algo a mais que este grupo são os campeões mundiais uruguaios. Esses não podemos igualar, mas depois o máximo que se fez foi sair em quarto e isso já temos garantido. Depois de tantos anos de frustração, que os uruguaios fiquem dois ou três dias festejando”, disse.

“Apesar de ser profissional, me custa ter a calma necessária para fazer uma análise objetiva da partida contra Gana. Conseguimos o que queríamos, ainda que não tenhamos jogado como pensávamos. Tivemos a sorte que sempre tem o que ganha, e não poderia acrescentar muito mais”, concluiu Tabárez.